Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

Ser pai: 3 lições que não se compram

Luiza Bortolatto

Nesse Dia dos Pais, resolvemos conversar com duas pessoas que fazem esse papel: o Ricardo, pai do Matheus (do time Neon) e o Guilherme, nosso cliente, pai da Luiza e do Enzo. 

“Não sei se todo mundo é assim, mas antes de dormir eu olho quem tá em casa.”

- Ricardo, pai do Matheus.

Mas por que a gente resolveu falar com eles, especialmente? 

Domingo, 7 horas da manhã. O Ricardo (pai do Matheus) percebeu que seu filho não tinha voltado pra casa e que o celular dele estava lá. Hora de dar um Google, né? Ele digitou “contato com Neon” e achou um e-mail para se comunicar com o nosso time. No e-mail, ele escreveu: “Alguém aí pode pedir para o Matheus me ligar? É o pai dele. Desde então, o pai do Matheus ficou famoso em todo o nosso time de atendimento, por ter aberto um ticket só pra encontrá-lo. 

Ano passado, o Guilherme (pai da Luiza) entrou em contato com a gente porque queria saber como adquirir os ingressos para um evento que estávamos patrocinando, o Front in Sampa. Durante toda a conversa com o nosso time, ele sempre fazia questão de comentar sobre a relação com a sua filha, Luiza.  

 Aprendendo com eles 

Como meu pai passaria por essa situação? é uma pergunta que o Guilherme costuma fazer pra si. Em nossa conversa com esses dois pais incríveis, aprendemos três lições sobre a relação com o dinheiro que aprenderam com seus pais, ou que descobriram com os filhos após a paternidade. Dá uma olhada! 

3-licoes-pais

1. Conquistar, não ganhar  

O Guilherme tem um enteado de 10 anos, o Enzo. O Enzo queria ganhar um videogame de aniversário. Em vez de dar o videogame de presente pra ele, o Guilherme ensinou o Enzo a importância de conquistar o que temos. Por isso, sugeriu que em vez de pedir presentes para os convidados da sua festinha, poderia pedir o dinheiro que cada um gastaria com o presente para conseguir comprar o videogame. Assim, mesmo com o garoto ainda pequeno, consegue dividir a importância do valor das coisas, que não é somente monetário. 

Quando o Matheus e seus irmãos eram pequenos e pediam para comprar algo, seu pai, Ricardo, não comprava. Queria que os filhos aprendessem a valorizar o dinheiro. 

2. Guarde de pouco em pouco 

A Luiza, filha do Guilherme, aprendeu cedo que se ela gastar na mesma semana, não sobra nada. Agora, se ela guardar o dinheiro dessa semana e juntar com o dinheiro da semana seguinte, já tem um novo valor. De pouco em pouco dá pra chegar bem longe. 

3. Um segredo revelado: o retorno não é material

A gente sempre fala por aqui sobre a importância de ter um investimento, mas no caso desse bate papo com os pais, o Guilherme fez uma grande revelação pra gente: ter filhos é um investimento sem retorno. Mas brincadeiras à parte, na verdade o retorno... Conversando com o Ricardo e o Guilherme, chegamos na lição mais importante: o retorno não é material. Ser pai é investir e acompanhar com muito carinho o crescimento de alguém.    

Seus filhos são educados. Ouvir essas coisas dá alegria pra gente.

- Ricardo, pai do Matheus

Por mais que os pais tenham idades diferentes, que o formato das famílias seja diferente, e que eles tenham passado por experiências diferentes de paternidade, os valores sempre passam de pai pra filho, seja quando o assunto é dinheiro, ou qualquer outra coisa. 

E você, que é pai, gostaria de dividir seu maior aprendizado? Conta pra gente nos comentários! 

Comentários