Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

O que é RDB e como funciona

Time Neon

RDB? Não, não digitamos “R” no lugar de “C”, se você pensou que escrevemos errado CDB. E RDB também não é o nome de uma banda, o grupo mexicano que fez sucesso nos anos 2000 se chama RBD. Brincadeiras à parte, o RDB é a sigla de uma aplicação financeira de renda fixa, chamada Recibo de Depósito Bancário. Anota aí para incluir na sopa de letrinhas dos investimentos. 

Assim como o CDB, o RDB é um título de renda fixa emitido por instituições financeiras (bancos, financeiras e cooperativas de crédito, por exemplo) para captar recursos. Na prática, ao investir em um RDB, você está “emprestando” esse dinheiro para o emissor que, por sua vez, vai devolver o montante aplicado com juros (rendimento), conforme o prazo de vencimento. 

Perceba que a lógica do investimento em RDB é igual a de um CDB. Então, é tudo farinha do mesmo saco? Calma, calma. Há diferenças e vamos falar sobre isso já! 

Como funciona o RDB? 

No caso do CDB, é possível encontrar opções com liquidez diária (inclusive, o CDB da Neon é assim, sabia? Dá uma olhada), assim como alternativas com vencimento em 3 ou 6 meses, até mesmo prazos mais longos, de 5 anos. Já o RDB não tem a característica de poder ser sacado a qualquer momento, mesmo se pintar uma dor de barriga que você não espera. Isso porque o investimento é considerado “inegociável e intransferível”. Xi, e agora? 

Então, ao comprar um RDB, o ideal é se preparar para carregar o dinheiro aplicado até a data de vencimento. Ainda assim, alguns emissores possibilitam o resgate antes do prazo. Mas é importante sempre observar qual será a rentabilidade caso você precise sacar o recurso porque a instituição pode reduzir o retorno para quem opta por tirar a grana antes do vencimento. De todo modo, pesquisar é a regra básica antes de sair investindo, né? 

Outra diferença é que o RDB, como você já deve ter reparado nas suas “andanças” pelo mundo dos investimentos, é bem mais difícil de encontrar na prateleira das instituições financeiras. Grandes bancos, por exemplo, quase não usam esse instrumento para levantar recursos – o CDB ainda é o mais usado. Já as financeiras e as cooperativas de crédito costumam emitir RDBs com rentabilidade às vezes maior que a de CDBs. Vale o risco? 

Qual a garantia do RDB? 

O principal risco de investir em RDB é a instituição (seja um banco, uma financeira ou cooperativa) quebrar. Então, a regra aqui é igual a do CDB. Além disso, o investimento em ambas as aplicações tem cobertura do chamado FGC (Fundo Garantidor de Créditos). 

Em outras palavras, se o emissor deixar de te pagar (sim, dar calote. Que feio!), o FGC devolve o dinheiro aplicado até R$ 250 mil por investidor e por instituição, com um limite de R$ 1 milhão para cada investidor por um período de quatro anos. 

Quanto rende um RDB?

Da mesma forma que o CDB, o rendimento do RDB varia conforme a instituição financeira. Existem três tipos de rentabilidade que você pode encontrar na prateleira dos bancos, financeiras ou cooperativas:  

  • Prefixada: o rendimento é definido no momento da aplicação. Ou seja, ao investir, você fica sabendo qual será a rentabilidade. Exemplo: RDB que remunera a uma taxa de 4,5% ao ano; 
  • Pós-fixada: ao contrário do investimento prefixado, o RDB pós-fixado tem a remuneração vinculada à variação de algum índice ou indicador, entre eles, CDI, que é uma taxa referencial de aplicações de renda fixa conservadoras. Exemplo: RDB que paga 110% do CDI; 
  • Híbrida: também é possível encontrar RDB no formato “híbrido”, que basicamente inclui uma taxa de juros prefixada mais a inflação (geralmente, IPCA, o índice oficial de inflação) acumulada num determinado período. Exemplo: RDB que oferece IPCA + 4% ao ano. 

RDB tem imposto? 

Da mesma forma que o CDB e outros títulos de renda fixa, ou mesmo fundos de investimento, o RDB tem cobrança de dois tipos de tributos que você já deve ter ouvido falar bastante: IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e o IR (Imposto de Renda). Veja como funciona a tributação: 

IOF 

Esse imposto é cobrado sobre os rendimentos, se você resgatar a aplicação em menos de 30 dias. 

IR 

O RDB tem incidência de IR seguindo a tabela regressiva (a mesma usada para CDB e outras aplicações de renda fixa). Ou seja, a mordida do Leão cai conforme você deixa o dinheiro aplicado por mais tempo: 

  • 22,5% para aplicações com prazo de até 180 dias;
  • 20% para aplicações com prazo de 181 até 360 dias;
  • 17,5% para aplicações com prazo de 361 até 720 dias;
  • 15% para aplicações com prazo acima de 720 dias.

Taxas 

Normalmente, não há taxas para investir em RDB. 

E aí, entendeu tudinho sobre RDB? Ficou com alguma dúvida? Manda pra gente. 

Comentários