Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

O que é criptomoeda e como funciona uma moeda digital?

Time Neon

Afinal, o que é criptomoeda e por que nomes como Bitcoin e Ethereum invadiram o noticiário?

Como assim as pessoas estão negociando moedas que ninguém pode ver, e por milhares de dólares?

É normal ter dúvidas sobre o assunto, porque estamos diante de um “dinheiro” totalmente novo, que só existe no meio digital, não é emitido nem controlado por bancos e passa por uma rede complexa e criptografada.

Nossa missão neste artigo é explicar o que é criptomoeda e mostrar para você quais são as moedas digitais mais famosas do momento.

Por isso, mostraremos aqui:

 

Quer ficar por dentro da economia do futuro?

Então vamos lá!

O que é criptomoeda?

Agora você vai entender o que é criptomoeda: uma moeda digital criada em uma rede blockchain e protegida por um sistema avançado de criptografia.

Não ajudou muito, né?

Então vamos simplificar:

  • Moeda digital: é uma moeda 100% virtual, que não existe na forma física, somente na forma de dados
  • Blockchain: é a tecnologia central com a qual as moedas digitais são criadas e transacionadas, que consiste em um tipo de “livro razão” (registro de escrituração) público e compartilhado com uma grande comunidade, onde são contabilizadas as transações com criptomoedas
  • Criptografia: é a tecnologia complexa de codificação e decodificação de dados que protege as transações na rede blockchain, tornando o uso das criptomoedas altamente seguro

 

Confira aqui todas as informações sobre o que é blockchain.

Além desses três elementos, as criptomoedas também são definidas pelas seguintes características, que as diferenciam de outras moedas:

  • Descentralização: ao contrário dos reais que você utiliza no dia a dia, as criptomoedas não são regulamentadas por uma autoridade monetária. Elas circulam livremente e não dependem do Banco Central ou do Estado, sendo totalmente descentralizadas
  • Anonimato: a maioria das criptomoedas não requer nenhum tipo de informação pessoal de seu proprietário para a realização de transações, o que garante certo anonimato
  • Custo zero de transações: como não há uma autoridade central regulando as criptomoedas, não há nenhum tipo de taxa cobrada pelas transações, como acontece com nosso dinheiro tradicional

 

A criptomoeda mais famosa é o Bitcoin, que foi criado em 2009 e alcançou uma valorização histórica de 303% em 2020.

Já vamos entender melhor porque só se fala nisso e como essas moedas digitais estão sendo usadas.

Para que servem as criptomoedas?

Agora que você já sabe o que é uma criptomoeda, o próximo passo é entender a função dela.

Da mesma forma que as moedas tradicionais, as criptomoedas servem para comprar bens e serviços, investir, poupar, transferir dinheiro e fazer todo tipo de transação.

Apesar de várias empresas aceitarem criptomoedas como meio de pagamento, como a Microsoft e o WordPress, atualmente elas não são muito usadas para essa finalidade.

Isso porque, como esses ativos têm alta volatilidade (têm saltos e quedas de preço constantes), eles acabaram ficando famosos no mundo dos investimentos.

Logo, os principais usos das criptomoedas atualmente são para obter ganhos com aplicações financeiras e fazer transferências sem custo (principalmente internacionais).

Para usar as moedas digitais, basta ter uma carteira virtual específica para o ativo em questão.

Agora, para comprar e vender, é preciso abrir uma conta em uma corretora habilitada para a negociação de criptomoedas.

O que posso fazer com uma criptomoeda?

Atualmente, existem mais de 4 mil criptomoedas diferentes em circulação, de acordo com a Investopedia.

As maiores delas, ou seja, que possuem maior volume de negociação, são usadas principalmente para ganhar dinheiro no mercado financeiro.

Outras surgem em comunidades tão pequenas que não têm qualquer valor para investimento, servindo apenas como meio de troca entre seus membros.

Mas, para quem possui as criptomoedas mais famosas em uma carteira digital, já é possível até pagar boletos com o dinheiro virtual.

Aplicativos como Pague com Bitcoin e BitBol permitem o pagamento de títulos bancários com Bitcoins, por exemplo.

Outra possibilidade é emitir um cartão virtual para pagar com criptomoedas.

Na exchange (corretora de criptoativos) NovaDAX, é possível abrir uma conta digital com um cartão de débito pré-pago que converte criptomoedas para reais instantaneamente.

Assim, os clientes da empresa podem comprar online e em estabelecimentos físicos usando seus criptoativos, e ainda conseguem fazer saques na rede de caixas eletrônicos 24 horas.

Além disso, intermediadores de pagamentos como o PayPal já aceitam criptomoedas como Bitcoin, Ether e Litcoin.

5 criptomoedas mais famosas

Com o crescimento do mercado das criptomoedas, já existem muito mais opções além do Bitcoin.

Confira algumas das mais famosas.

1. Bitcoin (BTC)

O Bitcoin segue invicto na posição de criptomoeda mais negociada do planeta, com uma capitalização superior a US$ 1 trilhão.

Ela foi criada em 2008 por um programador que utilizava o pseudônimo de Satoshi Nakamoto, sendo considerada a primeira moeda digital descentralizada do mundo.

A partir daí, surgiu um sistema econômico alternativo e o Bitcoin não parou mais de crescer.

Em 2013, 1 Bitcoin valia apenas US$ 13 e em 2014 já havia alcançado o valor de US$ 770.

Esse foi apenas o começo de diversos saltos e quedas históricos que caracterizam a altíssima volatilidade do Bitcoin.

Em abril de 2021, a cotação de 1 BTC chegou a quase US$ 65 mil dólares.

Menos de uma semana depois, a moeda despencou 11% em um único dia e atingiu US$ 55 mil.

Essa oscilação toda explica por que surgem milionários da noite para o dia com o Bitcoin e por que um simples tuíte do Elon Musk foi capaz de derrubar a cotação da moeda.

2. Ethereum (ETH)

A segunda criptomoeda com maior capitalização global é o Ethereum (ETH), que soma US$ 250,5 bilhões (um quarto do valor do BTC).

Ele vem se tornando cada vez mais popular entre investidores que querem diversificar sua carteira de criptomoedas.

Em apenas 12 meses, o ETH saltou 1.180% e chegou ao pico de US$ 4.338 em junho de 2021.

O grande diferencial do Ethereum é que, ao contrário do Bitcoin, ele foi desenvolvido para funcionar como um ativo do mercado financeiro e não um meio de troca.

3. Binance Coin (BNB)

Em terceiro lugar entre as criptomoedas mais populares vem o Binance Coin (BNB), com capitalização de US$ 77,5 bilhões.

Ele é utilizado na Binance Exchange, que funciona como um tipo de bolsa de câmbio de criptomoedas.

Além de ser uma das 10 maiores criptomoedas do mundo, o BNB é usado para negociar mais de 150 outras criptomoedas na Exchange.

4. Ripple (XRP)

O Ripple é uma criptomoeda com capitalização de US$ 61,6 bilhões, utilizada em uma plataforma que leva o mesmo nome.

Ele permite a transferência de dinheiro em criptomoeda ou moeda nacional, convertendo valores em diferentes moedas.

5. Dogecoin (DOGE)

O Dogecoin (DOGE) é uma criptomoeda alternativa que vem ganhando notoriedade, com US$ 51,5 bilhões em capitalização.

Ele é conhecido por ter surgido a partir de um meme famoso da internet, que mostra um cão da raça Shiba Inu — inclusive, o meme “Doge” foi vendido como NFT por US$ 4 milhões.

Aqui explicamos o que é NFT e como essa tecnologia funciona.

O que começou como uma brincadeira online viralizou e se tornou uma das 10 maiores criptomoedas do mundo.

Apesar do valor baixo (US$ 0,21 em junho de 2021), a moeda tem uma valorização crescente e é considerada um dos ativos do momento.

As criptomoedas são seguras?

As criptomoedas estão protegidas pelo que há de mais avançado em criptografia de dados, o que significa que é praticamente impossível “quebrar o código” para ter acesso a um desses ativos.

A maior ameaça são os roubos de carteiras digitais de criptomoedas em ciberataques a corretoras e exchanges.

Em 2020, cerca de US$ 3 bilhões em criptomoedas foram roubados por hackers, segundo um estudo da Atlas VPN.

Os cibercriminosos usam, principalmente, técnicas de phishing e malwares para instalar aplicativos maliciosos nos computadores das vítimas e roubar as criptomoedas.

Por isso, é importante investir em segurança da informação para proteger os criptoativos dos perigos cibernéticos.

Aproveite e confira nosso artigo que ensina a não cair em golpes pela internet.

Como ter criptomoedas?

Agora que você já sabe o que é criptomoeda, caso queira investir neste mercado só precisa abrir uma conta em uma exchange autorizada para comprar as suas.

Na maioria das corretoras, o cadastro é feito rapidamente por um aplicativo e basta transferir dinheiro para a conta para começar a comprar os ativos.

Alguns exemplos de exchanges brasileiras são Mercado Bitcoin, Foxbit e NovaDAX.

Mas, como vimos no artigo, o preço das criptomoedas vive em uma constante montanha-russa.

Então, se você vai entrar nesse mercado com o intuito de investir, precisa estudar bastante para não cair em armadilhas.

Como não existe nenhuma regulação, as criptomoedas são ativos de alto risco, pois, da mesma forma que você pode ganhar muito dinheiro rapidamente, também pode ter um prejuízo enorme da noite para o dia.

Basta acompanhar o noticiário para entender o que estamos dizendo.

Ou seja: esse tipo de investimento não é para iniciantes e é preciso se informar bastante antes de aplicar o seu dinheiro em criptomoedas.

 

Deu para entender o que é criptomoeda? Conta para a gente nos comentários se você já conhecia essas moedas digitais e o que acha dessa “nova economia”.

E, se o seu intuito é investir, saiba que existem alternativas mais seguras — recomendamos que você comece pelo nosso guia de investimentos para iniciantes.

ilustração neon mulher cuidando do dinheiro com app

Cuide bem do seu dinheiro. Experimente o app Neon!

download app neon android
download app neon ios

Comentários