Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

Vazamento de dados: 9 dicas para evitar golpes e proteger seu dinheiro

Ana Gabriela Graças

Atualizado em 07 de julho de 2021

No final de janeiro, veio à tona a notícia sobre o vazamento de dados de 223 milhões de brasileiros. Para você ter uma ideia, o Brasil tem cerca de 212 milhões de habitantes, o que mostra que dados de pessoas que já faleceram também vazaram.

Esse é o maior vazamento de dados pessoais da história do Brasil e tem uma extensa lista de informações que agora estão expostas.

Isso facilita a aplicação de golpes e fraudes, então é importante ficar atento para não se tornar mais uma vítima.

Para te ajudar, aqui vamos explicar tudo o que sabemos sobre o assunto até o momento e também mostraremos algumas dicas para que você se proteja.

Neste artigo você verá:

 

Quer saber mais sobre como o megavazamento de dados aconteceu e o que fazer a partir de agora?

Então continue lendo e confira!

O que foi divulgado no vazamento de dados?

Não foi apenas número do CPF que foi vazado. Dentre as informações, também estão na lista de dados vazados:

  • Nome
  • Sexo
  • Data de nascimento
  • Endereço
  • Telefone
  • Fotos de rosto
  • Dados de veículos (placa de carro e número de chassi)
  • Detalhes sobre Imposto de Renda
  • Renda
  • Ocupação
  • Pontuação nos birôs de crédito
  • Cheques sem fundo
  • Escolaridade
  • Recebimento do benefício do INSS
  • Informações de servidores públicos
  • Cadastros do LinkedIn
  • CNPJs (razão social, nome fantasia e data de fundação)

 

A lista pode ter mais dados vazados, mas ainda é muito incerto.

O fato é que não existe um site oficial onde você possa conferir isso, até porque os dados são vendidos na deep web (a internet que não é indexada e à qual não temos um fácil acesso), então não é tão simples consultar o vazamento de dados.

Por isso, não saia por aí colocando seu nome e CPF para conferir se seus dados pessoais vazaram ou não; você pode acabar dando as suas informações de bandeja para os criminosos.

Porém, considerando o volume do vazamento de dados, infelizmente o que se presume é que as informações de praticamente todos os brasileiros caíram nas mãos erradas.

Como o vazamento de dados pessoais aconteceu?

Ainda não se sabe de onde os dados vazados vieram. O fato é que essas informações são muito valiosas, por isso os criminosos aproveitam para vendê-las de forma ilegal na deep web, causando assim o vazamento.

Isso já acontece há muito tempo, mas esse caso ganhou notoriedade por se tratar de um volume tão alto. Inclusive, existe a suspeita que o vazamento pode ter mais de uma fonte e até mesmo contemplar informações que já foram vazadas antes.

Hoje a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) protege as informações de todos os usuários, então as empresas que utilizam esses dados de forma indevida estão sujeitas a sofrerem punições gravíssimas por isso.

Por exemplo, a empresa pode receber multas de até 2% do seu faturamento (limitado a R$ 50 milhões). Além disso, a companhia também precisa se retratar publicamente. Porém, as sanções só podem ser aplicadas a partir de agosto de 2021.

Dados “soltos” e vazados de forma isolada normalmente não valem muito para as empresas. Porém, quando são cruzados com outras informações, eles passam a apresentar um perfil preciso do usuário e é aí que está o interesse das companhias.

Entenda aqui qual a relação entre segurança de dados na internet e suas finanças.

É por isso que agora, mais do que nunca, é essencial ter ainda mais cuidado para não ser vítima de golpes, pois a lista de dados vazados é extensa e qualquer uma dessas informações pode ser usada para fins ilícitos.

Quais são os riscos após o roubo de dados na internet?

Criminosos sempre estão à espreita para aplicar os mais diferentes golpes. O problema é que agora, com esse vazamento de informações pessoais, eles têm muitas informações em mãos, então é preciso redobrar a atenção e os cuidados.

Por exemplo, dependendo do caso, é possível que contas bancárias sejam abertas com o nome de outra pessoa e cartões de crédito sejam solicitados, o saque do FGTS pode ser ativado e até mesmo inscrições para receber benefícios do governo podem ser feitas.

Além disso, os golpes que já existem podem ficar ainda mais convincentes, como e-mails, mensagens e ligações em que alguém do outro lado se passa por uma empresa séria, por um banco ou até mesmo pelo governo.

Vale destacar que, caso você se sinta lesado de alguma forma, você pode entrar com uma ação na Justiça Comum ou no Juizado Especial Cível, o qual é voltado para as pequenas causas.

9 dicas sobre como evitar golpes após o vazamento de dados no Brasil

Para você proteger o seu dinheiro e evitar cair em qualquer tipo de golpe, vamos mostrar algumas dicas que vão te ajudar.

1. Cuidado com links suspeitos

Os golpistas criam links falsos para tentar te induzir a clicar neles e, assim, acabar sendo direcionado para algum site que não é verdadeiro.

Isso é chamado de phishing e smishing, “iscas” enviadas por e-mail ou SMS que normalmente são promoções muito tentadoras ou condições exclusivas para você conseguir um crédito, por exemplo.

Com os dados expostos na internet, os criminosos têm ainda mais facilidade para ter acesso às suas informações e seus interesses. Por consequência, as tentativas de golpe por meio de links falsos podem aumentar, então redobre a cautela ao receber conteúdos suspeitos.

Aqui explicamos todos os detalhes sobre o que é phishing e smishing.

2. Atenção a sites que você não conhece

Está navegando por um site que você nunca acessou antes? Verifique se ele tem um cadeado na barra de endereço no alto da página, se o site tem algum selo de segurança e também se no endereço do site o HTTP tem a letra S, ficando dessa forma: HTTPS://nomedosite.com.br

Tomar esses cuidados é fundamental principalmente se você for fazer alguma compra online e precisar inserir os dados do seu cartão de crédito.

Aliás, você sabia que na Neon você tem um cartão virtual gratuito feito para você usar nas transações online e, assim, proteja seus dados bancários? Conheça!

3. Nunca confirme seus dados sem ter certeza com quem você está falando

Os criminosos podem se passar por bancos, empresas, seguradoras e até mesmo pelo governo para fazer cobranças falsas usando os seus dados pessoais vazados ou para tentar te “oferecer um crédito”, por exemplo.

Então, seja por telefone, e-mail ou SMS, jamais confirme seus dados sem ter certeza com quem você está conversando. Não se deixe levar pelo impulso e sempre desconfie.

O melhor caminho é você desligar e, posteriormente, entrar em contato com a empresa em questão via canais oficiais. Dessa forma, você poderá confirmar se o que foi falado é verdadeiro ou não.

Além disso, vale reforçar que você nunca deve enviar seu código de verificação do WhatsApp para ninguém. Os golpistas usam esse artifício para clonar o seu aplicativo e começar a pedir dinheiro para seus contatos.

Então, muito cuidado, nenhuma empresa séria precisa desse código para absolutamente nada; ele é pessoal e intransferível.

4. Verifique se o boleto recebido por e-mail é verdadeiro

Se você costuma receber boletos por e-mail, sempre fique atento se aquele documento é verdadeiro.

Criminosos aproveitam esse recurso tanto para enviar boletos falsos quanto para colocar vírus nos arquivos, os quais podem infectar o seu computador. Com o vazamento de informações, esse golpe pode ganhar mais força.

Também é importante ter atenção na hora de fazer o pagamento e confirmar quem é o recebedor daquela transação.

Aqui explicamos como você pode saber se um boleto é falso.

5. Proteja o seu FGTS

O FGTS também pode ser um alvo dos criminosos, por isso você precisa ter cuidado para evitar que seu benefício seja comprometido.

Para isso, você pode fazer duas coisas:

  • Ativar as notificações via SMS para ser alertado sempre que qualquer transação for feita
  • Vincular sua conta bancária ao sistema do FGTS para que todos os saques caiam direto na sua conta

 

Esses dois processos podem ser feitos direto pelo próprio aplicativo do FGTS. Ao ativar as notificações, você será avisado quando um saque ou depósito for feito. Em relação à conta vinculada, você pode cadastrar qualquer conta.

Mesmo que você não tenha a intenção de fazer nenhuma movimentação, é importante deixar a sua conta bancária vinculada ao seu FGTS para evitar que o dinheiro vá para outro lugar no caso de uma fraude.

6. Consulte diariamente seu saldo bancário, extrato e a fatura do seu cartão

Isso definitivamente deve se tornar um hábito em sua vida. Todos os dias, tire um minutinho para entrar no app do seu banco para checar o saldo, o extrato bancário e a fatura do seu cartão de crédito.

Dessa forma, diariamente você poderá ficar tranquilo que nenhuma movimentação financeira indevida foi feita.

Vale também ativar as notificações do aplicativo do seu banco para sempre receber um alerta quando houver qualquer transação.

7. Ative as autenticações de dois fatores

Também chamadas de “verificações em duas etapas”, as autenticações de dois fatores são uma camada a mais de segurança para você.

Por exemplo, você pode cadastrar o seu celular para receber um código SMS para confirmar que é você mesmo que está tentando entrar no seu e-mail.

Esse recurso está disponível em uma série de sites, redes sociais, e-mails e aplicativos. Basta ir até a parte de “configurações” e procurar pela dupla verificação.

Dessa forma, mesmo que o criminoso consiga sua senha, por exemplo, ele não conseguirá dar andamento ao acesso, pois a segunda camada de segurança estará ativada.

8. Troque senhas de sites, redes sociais e bancos

Falando em senhas, aproveite esse momento dos dados vazados para trocar todas as suas senhas em sites, redes sociais e, principalmente, em bancos.

Vale também fazer uma limpa em cadastros em sites que você nem sequer usa mais. Dê uma olhada em tudo e exclua suas informações daqueles que não são mais do seu interesse.

Além disso, nunca repita suas senhas, use caracteres especiais e jamais anote nenhuma delas no próprio celular. Para facilitar, você pode ter um cofre de senhas.

Aproveite e veja dicas sobre como proteger o celular e aplicativos de bancos.

9. Tenha um cofre de senhas

Um cofre de senhas nada mais é do que um recurso que permite que você crie senhas complexas e “guarde-as” em um só lugar. Depois, para acessar seu e-mail, redes sociais ou sites, basta inserir uma senha única, que é a senha do cofre.

Dessa forma, a senha original em si ficará devidamente protegida e você nem sequer precisará se lembrar dela.

Você encontra na internet diversos sites e aplicativos que oferecem essa opção. Pesquise qual funciona melhor para você.

 

O que achou das informações sobre o vazamento de dados e o que fazer para não cair em fraudes?

Aqui mostramos mais algumas dicas sobre como evitar os golpes pela internet.

Compartilhe esse artigo com seus familiares e amigos para que mais pessoas tomem os devidos cuidados e preservem sua segurança financeira.

ilustração neon mulher cuidando do dinheiro com app

Cuide bem do seu dinheiro. Experimente o app Neon!

download app neon android
download app neon ios

Comentários