Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

Salário bruto e líquido: você sabe a diferença entre eles?

Time Neon

Salário bruto e líquido são duas formas bem diferentes de falar da sua remuneração.

Quando você é contratado pela empresa, o valor anunciado na vaga e acordado com o RH é o “oficial”, mas não necessariamente o que você vai receber todo mês.

Isso porque existem vários descontos que são aplicados ao salário antes de chegar ao valor final, aquele que realmente cai na sua conta.

Então, será que você sabe a diferença entre salário bruto e líquido ou está considerando o valor errado para organizar suas finanças?

É o que vamos descobrir ao longo do artigo a partir dos seguintes tópicos:

Continue lendo para entender a diferença entre eles. Será que você está fazendo sua organização financeira com base no valor correto?

Salário bruto e líquido: qual a diferença?

Entender a diferença entre salário bruto e líquido é muito importante para saber exatamente quanto você ganha e manter sua vida financeira organizada.

Vamos entender primeiro o que significa cada um dos conceitos.

O que é salário bruto?

O salário bruto, também conhecido como salário base, é a remuneração oficial que o funcionário recebe por mês.

Ou seja: é o valor do salário antes de todos os descontos que são aplicados, como a contribuição ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e o Imposto de Renda (IR).

Quando você vê um anúncio de emprego CLT com uma remuneração, esse é o valor do salário bruto, que é usado pelo RH como referência e vem impresso na sua carteira de trabalho.

Além disso, a renda bruta também é o valor que o banco considera na sua análise de crédito para um financiamento ou empréstimo pessoal, por exemplo.

Logo, podemos dizer que é o salário que você ganha oficialmente — mas não o que irá de fato para a sua conta bancária.

O que é salário líquido?

O salário líquido é o valor que você recebe efetivamente na sua conta bancária todo mês, depois de todos os descontos obrigatórios sobre o salário bruto.

Ou seja: é o valor final da remuneração, que realmente conta como dinheiro no bolso.

Se você trabalha com carteira assinada, pode conferir seu salário líquido no holerite (ou contracheque), que traz todos os descontos e adicionais discriminados.

Obviamente, o valor líquido é menor do que o bruto, pois você não pode deixar de pagar as obrigações fiscais como contribuição ao INSS e IR.

Além disso, também podem ser descontadas faltas e atrasos do valor da sua remuneração, dependendo da política da empresa.

Outros descontos possíveis são o percentual de 6% sobre o vale-transporte previsto em lei e outros benefícios que a empresa ofereça em regime de coparticipação, ou ainda empréstimos consignados que são lançados diretamente na folha.

No final, o que sobra é o seu salário líquido, que deve ser a sua referência para organizar o orçamento.

Quais descontos existem sobre o salário bruto?

Existem vários tipos de descontos que podem incidir sobre o salário bruto e impactar o valor do salário líquido.

Veja quais são os principais:

Descontos obrigatórios

Os descontos obrigatórios são definidos por lei e incidem sobre o salário bruto e outros vencimentos como bônus, gratificações e horas extras.

Hoje, existem dois principais:

  • Contribuição ao INSS: é o percentual destinado ao sistema público de aposentadoria, que muda de acordo com a faixa salarial
  • Imposto de Renda: é o percentual do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), devido à Receita Federal

A contribuição ao INSS é o que garante seu direito a receber a aposentadoria e outros benefícios da Previdência Social como auxílio-doença, salário-maternidade e pensão por morte — veja para que serve o INSS.

Já o IR é a obrigação fiscal básica de toda pessoa física, que deve pagar imposto sobre os rendimentos tributáveis recebidos da empresa — confira o guia do Imposto de Renda.

Como ambos são aplicados em forma de percentual, o desconto aumenta na mesma proporção do salário bruto.

Ou seja: quem ganha mais, tem descontos maiores.

Antes da Reforma Trabalhista de 2018, a contribuição sindical também era obrigatória para todos, mas hoje só vale para trabalhadores filiados a sindicatos.

Lembrando que o FGTS não é descontado do salário e sim pago à parte pelo empregador (8% do salário bruto).

Descontos extras da empresa

Além dos descontos obrigatórios, a empresa também pode descontar outros valores permitidos por lei.

São eles:

  • Vale-transporte: por lei, as empresas podem descontar até 6% do salário bruto mensal dos funcionários que solicitam o vale-transporte
  • Vale-refeição: o vale-refeição também pode ser descontado do salário bruto, desde que não ultrapasse 20%
  • Plano de saúde: as empresas são livres para descontar até 30% do salário bruto referente ao plano de saúde (oferecido como benefício) para os colaboradores que aderirem
  • Outros benefícios: a empresa também pode descontar porcentagens relativas a outros benefícios como previdência privada corporativa, vale-cultura, convênios com serviços, etc.
  • Atrasos e faltas: as ausências e atrasos dos colaboradores também podem ser descontadas do salário, de acordo com as regras da empresa.

Descontos de empréstimos

Por fim, se o funcionário fizer um empréstimo consignado, as parcelas também serão descontadas diretamente do salário bruto.

Esse tipo de crédito costuma ter juros mais atrativos justamente porque o banco tem o seu salário como garantia, já que o valor cai diretamente na folha de pagamento.

Antigamente, só os funcionários públicos tinham essa opção, mas hoje já é possível pedir empréstimo consignado trabalhando no setor privado.

Por lei, o trabalhador privado pode utilizar até 30% do salário líquido — ou seja: sua parcela não pode ultrapassar esse limite após todos os descontos anteriores.

Como calcular salário líquido e bruto

O salário bruto não precisa ser calculado, pois ele já consta na sua carteira de trabalho e é informado no momento da contratação.

O que você precisa saber calcular é o salário líquido a partir desse valor, que tem todos os descontos que acabamos de ver.

Temos um passo a passo completo aqui para ajudar você nessa tarefa.

Veja um resumo:

1. Aplique o desconto do INSS

O primeiro desconto que deve ser aplicado para calcular seu salário líquido é a contribuição do INSS.

É fundamental que você deduza essa porcentagem antes de tudo, pois os outros descontos são calculados com base no valor restante.

Esta é a tabela de contribuição mensal do INSS que entrou em vigor em março de 2020:

Salário mensal

Alíquota

Até R$ 1.045,00

7,5%

De R$ 1.045,01 a R$ 2.089,60

9%

De R$ 2.089,61 a R$ 3.134,40

12%

De R$ 3.134,41 a R$ 6.101,06

14%

2. Desconte o Imposto de Renda

O próximo passo é calcular o Imposto de Renda sobre o salário bruto já com o desconto do INSS.

Esta é a tabela de incidência mensal do IR válida desde 2015, disponível no site da Receita Federal:

Base de cálculo mensal

Alíquota

Parcela a deduzir do IRPF

Até R$ 1.903,98

Isento

-        

De R$ 1.903,99 até R$ 2.826,65

7,5%

R$ 142,80

De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05

15%

R$ 354,80

De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68

22,5%

R$ 636,13

Acima de R$ 4.664,68

27,5%

R$ 869,36

3. Aplique os descontos extras

Agora é o momento de aplicar os descontos extras, caso façam parte da política da sua empresa.

Supondo que a empresa desconte 6% de vale-transporte, basta deduzir a porcentagem do salário bruto, e assim por diante.

O mesmo vale para prestações de empréstimos consignados, se você tiver.

4. Confira o valor no seu holerite

Depois de aplicar todos os descontos, você terá o valor do seu salário líquido que consta no final do holerite.

Geralmente, ele vem especificado como “Líquido a receber”, logo abaixo do total dos vencimentos e total dos descontos.

Assim, fica fácil conferir se o valor está correto.

Faça seu salário líquido render mais

Agora que você sabe a diferença entre salário bruto e líquido, já pode organizar sua vida financeira com base no valor que recebe na sua conta de fato.

Um erro muito comum é acabar considerando o valor bruto na hora de fazer o orçamento pessoal.

Lembre-se de que o salário bruto é apenas “simbólico”, e que o que realmente conta para o planejamento financeiro é o valor líquido que você terá no final.

Com esse número em mãos, você já pode distribuir suas despesas do mês e se organizar para poupar e investir.

Nós ajudamos você a fazer seu salário líquido render com uma planilha de gastos 100% gratuita que vai colocar ordem nas suas finanças.

 

Entendeu a diferença entre salário bruto e líquido?

Se o texto ajudou você, deixe seu comentário e conte o que mais você gostaria de saber sobre finanças pessoais. 

ilustração neon mulher cuidando do dinheiro com app

Cuide bem do seu dinheiro. Experimente o app Neon!

download app neon android
download app neon ios

Comentários