Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

Entenda por que o compartilhamento de dados no Open Banking é seguro

Time Neon

O compartilhamento de dados no Open Banking já é uma realidade, mas ainda não ficou muito claro como isso funciona.

Na prática, é muito simples: você pode liberar acesso aos seus dados pessoais, saldo, transações e histórico de crédito para qualquer banco, fintech, corretora ou outra instituição que quiser.

Assim, você pula toda aquela parte chata de cadastro, envio de documentos, análise de crédito e outras burocracias para ter acesso a serviços como empréstimos, contas, investimentos, etc.

Se você ficou inseguro com essa ideia, vamos explicar neste artigo como funciona o compartilhamento de dados no Open Banking e como fazer isso com segurança.

Para isso, abordaremos os seguintes tópicos:

 

Ficou interessado?

Leia até o fim e decida se você vai ou não compartilhar suas informações.

Compartilhamento de dados no Open Banking: como funciona?

O compartilhamento de dados no Open Banking é a troca de informações cadastrais e financeiras de clientes entre diferentes bancos, fintechs, corretoras e outras instituições.

Você, consumidor, é quem decide com quais empresas compartilhar seus dados, para qual finalidade e por quanto tempo.

Para entender melhor como funciona, imagine que você viu uma oferta de crédito atrativa em um anúncio da Fintech A, mas hoje tem conta no Banco B.

Antes do Open Banking, você teria que passar por toda a fase burocrática de cadastro, envio de documentos e análise de crédito para conseguir esse empréstimo.

Com a chegada do novo sistema, tudo o que você precisa fazer é autorizar o compartilhamento dos seus dados do Banco B com a Fintech A.

Você poderá fazer isso pelo app ou pelo internet banking da Fintech A, e será redirecionado para confirmar o acesso aos dados dentro do sistema do Banco B.

Assim, a Fintech A poderá coletar informações como dados pessoais (seu nome, endereço, telefone, CPF, data de nascimento, etc.), extrato bancário e histórico de crédito diretamente no Banco B.

No caso, quem inicia o processo de compartilhamento é a Fintech A, após obter seu consentimento, autenticar sua identidade e confirmar a operação.

Já o Banco B é obrigado a fornecer os dados que você autorizou — daí a proposta de um sistema bancário aberto. Percebe como você está no controle do compartilhamento de dados e tem muito mais liberdade para buscar serviços mais vantajosos?

Essa é a ideia do Open Banking, que coloca o cliente no centro das operações e abre espaço para a concorrência no setor financeiro.

Quando será preciso compartilhar dados?

A partir de 13 de agosto de 2021 já será possível iniciar o compartilhamento de dados de clientes no Open Banking.

Essa é a segunda fase de um cronograma de quatro etapas que deve finalizar a implementação do sistema até o início de 2022.

Na primeira fase, iniciada em fevereiro de 2021, as instituições puderam compartilhar dados como produtos (contas, investimentos, empréstimos, etc.), canais de atendimento, taxas e horários de funcionamento — veja todas as fases do Open Banking no Brasil.

Agora é a vez dos clientes começarem a compartilhar seus dados no Open Banking. Vale lembrar que ninguém é obrigado a participar e você pode decidir pelo compartilhamento a qualquer momento.

É seguro compartilhar dados no Open Banking?

Sim, é seguro compartilhar dados no Open Banking se você confia nas instituições envolvidas. A função da plataforma do Banco Central é padronizar o ambiente financeiro para que as empresas consigam trocar dados entre si e “falem a mesma língua”.

Além disso, o BCB instituiu várias diretrizes e padrões de segurança para os participantes da rede. No entanto, a proteção dos dados dos clientes continua sendo de responsabilidade de cada banco, fintech e corretora.

A instituição que recebe os dados precisa obedecer normas como a Lei do Sigilo Bancário e a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), além de utilizar os mesmos mecanismos de segurança de dados e monitoramento antifraude que já são padronizados no mercado.

Outro ponto importante é que os seus dados só podem ser compartilhados após um processo com três etapas de segurança:

  • Consentimento: autorização do cliente para compartilhar os dados
  • Autenticação: comprovação de identidade
  • Confirmação: aceite final da operação

 

A instituição que vai receber seus dados também precisa deixar claro quais informações serão usadas, qual é a finalidade do compartilhamento e por quanto tempo seus dados serão mantidos no sistema (o prazo máximo é de 12 meses).

Depois, você terá uma área exclusiva para gerenciar seus compartilhamentos de dados no Open Banking, onde saberá exatamente quais instituições estão com suas informações, com qual objetivo e por quanto tempo.

Conforme os princípios da LGPD, você poderá cancelar o acesso aos seus dados a qualquer momento.

Confira nosso artigo completo sobre segurança no Open Banking.

5 cuidados que você precisa ter com o compartilhamento de dados

O compartilhamento de dados no Open Banking é tão seguro quanto outras transações que você já faz hoje, mas é preciso tomar cuidado. Como as instituições são responsáveis pela proteção das duas informações, ainda há o risco de golpes, fraudes e vazamentos de dados.

Veja como se proteger na hora de liberar o acesso ao seu cadastro.

1. Compartilhe dados apenas com instituições de confiança

A primeira dica de segurança para o compartilhamento de dados via Open Banking nós já dissemos: é fazer isso somente com instituições da sua confiança.

Dessa forma, você tem mais garantias de que seus dados pessoais estarão protegidos e de que não haverá nenhum uso indevido ou repasse a terceiros.

Vale reforçar que a responsabilidade pela segurança é da empresa que está recebendo suas informações.

2. Compartilhe somente pelo app ou internet banking

O Banco Central deixou muito claro no regulamento do Open Banking que os dados só podem ser compartilhados por meio dos canais digitais das instituições (sites e apps).

Ou seja: é proibido solicitar o compartilhamento de dados de clientes por outros meios como telefone, e-mail, aplicativo de mensagens ou meios impressos (contratos).

Também está vetado o consentimento por meio de formulários com opção de aceite previamente preenchida ou presumida de qualquer forma.

Você pode até receber uma solicitação de compartilhamento por outros canais, mas a autorização só pode ser realizada no canal oficial do banco ou fintech.

3. Siga todas as etapas do consentimento

Como vimos, a autorização para compartilhar dados passa por três etapas diferentes: consentimento, autenticação e confirmação.

Primeiro, você terá que se identificar e dar consentimento à instituição que vai receber seus dados.

Em seguida, você será redirecionado para a instituição que vai fornecer seus dados para se autenticar novamente e confirmar o compartilhamento.

Por fim, você ainda terá que confirmar novamente a solicitação no sistema da empresa receptora.

Lembrando que todos esses passos serão realizados nos canais digitais dos bancos e instituições.

4. Fique atento aos golpes

Já falamos bastante sobre os golpes que ameaçam seu dinheiro aqui no blog, como os clássicos phishing e smishing, golpes do Pix e boletos falsos, e claro que os golpistas também vão tentar atacar no Open Banking.

Nesse momento, você precisa ficar atento aos possíveis golpes de solicitação falsa de compartilhamento de dados.

Se receber qualquer comunicação suspeita por e-mail, WhatsApp, SMS ou qualquer outro meio solicitando dados para o Open Banking, desconfie e entre em contato com a instituição responsável imediatamente.

É bem possível que os cibercriminosos aproveitem essa fase para roubar dados de vítimas que não conhecem as normas de compartilhamento.

5. Acompanhe de perto suas autorizações

Por fim, é importante que você acompanhe de perto as autorizações fornecidas às empresas no ambiente que será disponibilizado pelo BCB.

Nesse sistema, você poderá controlar quem tem acesso a quais dados, por qual motivo e por quanto tempo. Além disso, poderá suspender o compartilhamento sempre que quiser.

 

Ficou claro como funciona o compartilhamento de dados no Open Banking Comente abaixo se você está pronto para compartilhar seus dados no sistema!

ilustração neon mulher cuidando do dinheiro com app

Cuide bem do seu dinheiro. Experimente o app Neon!

download app neon android
download app neon ios

Comentários