Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

Planejamento financeiro empresarial: do básico ao avançado

Time Neon

Você ainda tem dúvidas sobre como fazer seu planejamento financeiro empresarial?

O processo é parecido com o das finanças pessoais: você vai analisar sua situação financeira, definir o futuro ideal e traçar as rotas para chegar lá. Simples assim, mas com vários métodos, cálculos e estratégias pelo caminho. 

Se você quer aprender a elaborar um plano financeiro básico, este artigo vai ajudar com os primeiros passos. Se a intenção é aprofundar seu plano, também temos dicas valiosas para um roteiro mais avançado.

Vamos lá?

O que é o planejamento financeiro empresarial

O planejamento financeiro empresarial é um instrumento de gestão que determina como usar os recursos do negócio da forma mais eficiente possível, buscando atingir seus objetivos e projetar resultados.

É um passo crítico para o sucesso da organização, pois valida todo o plano de negócio e confirma sua viabilidade econômica, além de possibilitar o crescimento sustentável. 

Na prática, é um documento que contém objetivos e metas financeiras, descrição de recursos necessários, orçamentos, análises de mercado, entre outros elementos essenciais para o futuro da empresa.

Afinal, você precisa de um bom plano para garantir a saúde financeira do seu negócio, com direito a cálculos e previsões.

Geralmente, os empreendedores partem de um planejamento financeiro inicial para abrir sua empresa e renovam o documento anualmente, traçando novas metas conforme o resultado do ano anterior.

Assim, é muito mais fácil avançar e atingir os objetivos de lucratividade e rentabilidade. 

Importância do planejamento financeiro empresarial

O planejamento financeiro empresarial é o que garante o equilíbrio entre as receitas e despesas da empresa, para atingir a margem de lucro desejada.

Sem um plano de finanças, você não tem clareza dos resultados e não consegue projetar o crescimento do negócio.

Obviamente, você não quer ficar no escuro quando o assunto é o dinheiro da sua empresa, certo?

O problema é que muitos empreendedores negligenciam o planejamento financeiro e acabam perdendo o controle da situação. 

Prova disso é que a inadimplência das empresas brasileiras atingiu seu recorde em agosto de 2018, com mais de 5,5 milhões de CNPJs negativados e uma dívida total de R$ 126,4 bilhões, segundo dados do Serasa Experian

Em maio de 2019, um novo levantamento da empresa, publicado no G1, mostra o aumento para 5,7 milhões de empresas endividadas.

E o pior: desse total, 5,3 milhões são micro e pequenas empresas. 

Isso porque as MPMEs têm mais dificuldade em gerar caixa e ampliar sua receita, e nem sempre contam com o planejamento adequado para driblar situações de crise e instabilidade.

Esses problemas também aparecem no relatório Causa Mortis: o sucesso e o fracasso das empresas nos primeiros 5 anos de vida, realizado em 2014 pelo Sebrae.

De acordo com o estudo, mais da metade dos empreendedores que fecharam as portas não fizeram o planejamento financeiro básico do negócio.

Para você ter uma ideia, 39% sequer definiram qual seria o capital de giro necessário e 50% não determinaram o valor do lucro pretendido.

Logo, você tem motivos suficientes para se preocupar com seu planejamento financeiro, se pretende aumentar seus lucros e prosperar.

Para os pequenos negócios, planejar é ainda mais importante, pois define as rotas do crescimento e mantém a empresa sempre no azul. 

5  barreiras do planejamento financeiro nas empresas

Se o planejamento financeiro empresarial é tão importante, por que tantos gestores ainda falham nessa parte?

Vamos às principais barreiras que dificultam a elaboração do plano nas empresas.

1. Tomada de decisão intuitiva

O hábito de tomar decisões com base na intuição ou experiência, e não em dados concretos, é uma das principais barreiras para a elaboração do planejamento financeiro.

Muitos empreendedores acreditam que é uma perda de tempo planejar suas finanças, pois preferem direcionar seu negócio com base em impressões imediatas e análises pontuais. 

Definitivamente, “deixar rolar” não é a abordagem certa para lidar com as contas da empresa.

Todo planejamento deve partir de dados reais e mensuráveis, que permitam calcular resultados e fazer projeções assertivas sobre o futuro da empresa. 

Por isso, a primeira barreira a ser superada é a visão imediatista e sem embasamento, que leva a decisões que ameaçam a saúde financeira do negócio. 

2. Falta de conhecimento metodológico

Para muitos empreendedores, o termo “planejamento financeiro empresarial” ainda soa enigmático.

Basicamente, o objetivo é criar um documento que resume o estado financeiro atual da empresa e determina como chegar ao estado desejado (e quanto isso vai custar). 

Mas, para quem não conhece o método de planejamento básico, pode parecer uma tarefa extremamente complexa e burocrática.

Logo, você também precisa desmistificar a ideia de que é complicado fazer um planejamento financeiro, pois uma simples planilha já pode resolver a questão. 

3. Falta de clareza sobre custos

O primeiro passo para determinar quanto você quer ganhar é saber quanto você está gastando.

Com as empresas, não é diferente, mas muitos gestores desconhecem seus custos e despesas.

Existem gastos fixos e variáveis, que vão desde o aluguel do escritório até as comissões de profissionais e custos de manutenção. 

Sem um controle rigoroso de cada custo, é impossível fazer um planejamento eficiente e acertar nas projeções, pois tudo depende do equilíbrio entre ganhos e gastos.

4. Falta de conhecimento em finanças

Para elaborar um planejamento financeiro empresarial, é preciso, no mínimo, ter o apoio dos profissionais dessa área.

Ocorre que alguns empreendedores resolvem assumir a tarefa sozinhos, e acabam se perdendo em alguns pontos importantes como regras de tributação, cálculos de indicadores e documentações contábeis. 

É importante que os empreendedores tenham conhecimento sobre finanças, mas é normal não dominar os conceitos e fórmulas da gestão financeira. 

Por isso, é preciso vencer a barreira da dúvida e pedir ajuda ao gerente financeiro ou mesmo aos consultores externos. 

5. Ausência de objetivos de longo prazo

Quando o assunto é planejamento financeiro empresarial, a primeira ideia de objetivo que vem à mente é “aumentar a receita/lucros”.

Isso é óbvio, mas não é suficiente para elaborar o plano de finanças em médio e longo prazo para a empresa.

Os objetivos devem ser mais específicos e quantificáveis, como “aumentar a receita em 25% até dezembro” ou “investir em uma nova filial até maio”.

Na prática, muitos empreendedores têm ideias de investimentos pontuais, mas não conseguem estruturar seus objetivos financeiros de longo prazo para ampliar o negócio. 

Logo, a barreira a ser superada é a da visão limitada, que deve se expandir para uma visão estratégica.

O básico do planejamento financeiro empresarial

Se o planejamento financeiro empresarial ainda não está muito claro para você, vamos começar pelo básico.

Veja como criar o seu em 4 simples etapas.

1. Definir sua situação atual

Seu planejamento financeiro empresarial começa na definição da situação atual.

A empresa está lucrando, tendo prejuízo ou em ponto de equilíbrio?

Como está o fluxo de caixa e o balanço patrimonial?

As perspectivas financeiras são positivas, neutras ou negativas?

Aqui, você deve reunir documentos e dados para responder a essas questões, com o auxílio da área de finanças e contabilidade. 

Na sua planilha ou documento, você pode chamar essa parte de “diagnóstico financeiro”.

2. Decidir aonde você quer chegar

Com a situação da sua empresa clara, é hora de decidir aonde você pretende chegar, financeiramente dizendo.

Você quer aumentar sua receita? Quanto e em quanto tempo? 

Você tem planos de investir ou financiar algo nos próximos meses?

Está precisando equilibrar suas contas ou reduzir custos? 

Analise o que é prioridade e crie uma lista de objetivos baseada na sua situação financeira e nas metas para o futuro do negócio. 

3. Determinar como você vai chegar lá

Agora que seus objetivos financeiros estão definidos, você precisa traçar as estratégias para alcançá-los. 

Quanto vai custar cada uma das suas metas?

Como será o orçamento dos próximos meses?

Quais indicadores devem ser medidos?

Nessa fase, você deve reunir suas estratégias e definir métricas de sucesso, planejando como os recursos serão alocados para atingir seus objetivos. 

Essas estratégias vão se transformar em ações e tarefas, que devem ser distribuídas aos responsáveis e cumpridas dentro do prazo. 

4. Acompanhar seu progresso

Pronto, você já tem um planejamento financeiro básico para começar a medir seus resultados.

A partir daqui, é só usar as métricas que você definiu para acompanhar o progresso de cada meta, fazendo ajustes no plano conforme necessário. 

Como fazer um planejamento financeiro empresarial de sucesso

Com o modelo básico em mente, você já pode avançar para um planejamento financeiro empresarial mais completo.

Confira o passo a passo detalhado. 

1. Faça um diagnóstico aprofundado

Você já entendeu como fazer um diagnóstico financeiro, mas é importante que essa primeira etapa seja o mais aprofundada possível.

O ideal é contar com um sistema de gestão financeira e contábil para ter acesso instantâneo a todos os documentos e relatórios de que você precisa.

Estes, por exemplo, são indispensáveis:

  • Balanço patrimonial
  • Demonstração de Resultados do Exercício (DRE)
  • Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA)
  • Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC)
  • Relatório de contas a pagar e a receber
  • Demonstração do Valor Adicionado.

Ao analisar os dados, você terá uma visão clara da posição financeira da empresa e poderá elaborar objetivos coerentes para o seu plano.

Para isso, é importante considerar todos os custos, despesas, receitas e encargos, além dos lucros e perdas do período. 

2. Analise o mercado

Além de se debruçar sobre os resultados da empresa, você também precisa analisar o mercado para seguir com o planejamento financeiro.

Afinal, há vários fatores macroambientais que podem afetar suas finanças no futuro, desde uma crise econômica até a ação de seus concorrentes.

Por isso, vale a pena avaliar os indicadores econômicos do mercado, mapear a concorrência e procurar por oportunidades e ameaças no cenário. 

Como ferramenta, você pode usar a clássica matriz SWOT: Strenghts (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças). 

Assim, você consegue identificar as tendências do ambiente e fazer uma análise de risco mais precisa. 

3. Defina objetivos e metas realistas

Seus objetivos e metas financeiros devem ser claros, realistas e mensuráveis.

Os objetivos são os propósitos mais amplos, como “aumentar o faturamento em 20%”, enquanto as metas podem ser tarefas menores que levam ao cumprimento do objetivo, como “aumentar a venda do produto x em 20% nos próximos 3 meses”. 

Também é importante que esses propósitos contenham números, para que você tenha um parâmetro exato. 

4. Faça projeções e defina os orçamentos 

As projeções financeiras são essenciais para prever seus resultados no futuro e guiar seus orçamentos. 

Nessa etapa, você pode aplicar a projeção de receitas, projeção de vendas, projeção de fluxo de caixa e balanço patrimonial projetado, por exemplo. 

Essas ferramentas vão proporcionar mais controle no planejamento orçamentário e oferecer uma visão clara do potencial do negócio, além de permitir várias simulações de cenários.

5. Acompanhe as métricas certas

Saber como medir o progresso também é importante no planejamento financeiro, pois não basta acompanhar só as métricas óbvias como faturamento.

Estes são alguns indicadores úteis para incluir no seu plano:

  • Lucratividade: divisão do lucro líquido pela receita bruta
  • Rentabilidade: divisão do lucro líquido pelo investimento total na empresa
  • Liquidez corrente: divisão dos ativos circulantes pelos passivos circulante, que resulta na capacidade de pagamento da empresa
  • Geração de caixa: saldo médio do caixa dividido pelas vendas totais. 

Você pode acrescentar as métricas que fizerem mais sentido para o seu negócio, para facilitar o acompanhamento do progresso. 

6. Monitore resultados com a tecnologia

O segredo da execução eficiente do planejamento financeiro é monitorar resultados, de preferência com o auxílio da tecnologia.

Basta pensar na quantidade de dados que você precisa acompanhar a todo momento, e na praticidade de contar com um software para organizar seus relatórios em segundos.

Aliada ao seu sistema de gestão financeira, a conta Neon Pejota pode ser uma excelente solução para melhorar seu controle sobre as finanças da empresa.

É uma conta digital PJ completa, livre das taxas e processos dos bancos tradicionais e cheia de funcionalidades para ajudar você no controle financeiro da empresa.

Se estiver no caminho certo, você vai acompanhar o saldo positivo do planejamento direto no app, sem burocracia e complicação.

Tirou suas dúvidas sobre o planejamento financeiro empresarial? Conta pra gente!

Comentários