Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

Nômades Digitais: quem são, o que fazem e como ser um deles

Time Neon

Os nômades digitais representam a nova classe de empreendedores e profissionais que trabalham 100% online - fazendo do mundo todo o seu escritório.

Esses viajantes abrem mão do endereço fixo para abraçar sua liberdade, ganhando dinheiro pela internet enquanto conhecem novos lugares e pessoas.

Graças à tecnologia, cada vez mais pessoas preferem trabalhar a distância - muitas vezes por conta própria - e conciliar a carreira com o nomadismo.

Parece um estilo de vida incrível, não é mesmo?

Com este guia completo, você vai conhecer os prós e contras da escolha e descobrir se tem perfil para se tornar um nômade digital.

O que são nômades digitais

Os nômades digitais são profissionais que trabalham exclusivamente online, de qualquer lugar do mundo - bastando uma conexão à internet.

Como não precisam estar presentes em um escritório, cidade ou mesmo país específico, eles aproveitam essa flexibilidade para viajar pelo mundo ou se mudar constantemente.

O diferencial, no caso, é levar um estilo de vida alternativo graças às facilidades do trabalho remoto, sem a necessidade de se fixar em um único local.

Mas, para que uma pessoa seja considerada nômade digital, é preciso que os dois aspectos estejam presentes:

  • Trabalho remunerado ou negócio próprio 100% online
  • Viagens e mudanças constantes de um lugar para outro.

 

Ou seja: não basta ter apenas um trabalho remoto e viver no mesmo lugar, tampouco viver viajando, mas não trabalhar pela internet.

Somente a combinação dos dois elementos define o nômade digital, que é uma figura típica da era digital e da economia freelancer.

Usualmente, esses profissionais são vistos com seus notebooks trabalhando em espaços de coworking, cafés, hotéis e hostels ao redor do mundo.

Não há um padrão para o deslocamento, pois alguns preferem viajar todo mês, enquanto outros passam períodos mais longos explorando uma única região - o importante é estar em movimento.

De acordo com o estudo Digital Nomadism: A Rising Trend, publicado em 2018 pela MBO Partners, 4,8 milhões de trabalhadores independentes já se identificam como nômades digitais nos EUA.

O público é formado por 69% de homens e 31% de mulheres, e mais da metade (54%) tem mais de 38 anos.

Em relação às áreas de atuação, os nômades digitais se dividem entre:

Há outras profissões que podem se adequar ao estilo de vida, mas essas reúnem os principais atributos do trabalho digital e de um público com espírito aventureiro.

Origem do termo nômade digital

O termo nômade digital é atribuído ao livro homônimo Digital Nomad (Wiley, 1997), que prevê um retorno ao nomadismo associado às novas tecnologias — o “estilo de vida do futuro”.

Para os autores Tsugio Makimoto e David Manners, a combinação do mundo digital com a urgência natural do ser humano em desbravar novos lugares daria origem a uma sociedade de nômades digitais.

Parece que eles acertaram na previsão, pois o número de pessoas atraídas por esse estilo de vida só aumenta, no mesmo ritmo do mercado voltado a esse novo público.

O site Roam, por exemplo, é especializado em locação de espaços de co-living e coworking para nômades digitais, enquanto o Nomad Cruise reúne os profissionais viajantes em cruzeiros ao redor do planeta.

Outro termo importante para esse universo é “location independence” (independência de localização, na tradução livre), cunhado pela nômade digital Lea Woodward em 2006.

Antes que o termo nômade digital se tornasse popular, os profissionais eram chamados de “independentes de localização”.

O nome oficial só explodiu de fato por volta de 2014, quando surgiu o Digital Nomad Festival (DNX). 

Exemplos de nômades digitais

Para entender quem são, de onde vivem e como trabalham os nômades digitais, nada melhor do que ter exemplos reais. Conheça alguns dos representantes mais famosos da categoria:

Tim Ferriss

O escritor e empresário Timothy Ferriss é um dos nômades digitais mais conhecidos do mundo.

Ele escreveu o best-seller The 4-Hour Week (Crown Publishers, 2009), que ensina o caminho para ter uma renda considerável trabalhando apenas quatro horas por semana de forma totalmente independente.

Com essa obra, ele se tornou uma espécie de guru do nomadismo digital, e hoje ocupa um lugar no conselho de empresas como Facebook, Twitter e Evernote.

Elia Locardi

No campo da fotografia, Elia Locardi se destaca como um nômade digital especialista em fotos de paisagens ao redor do mundo.

Ele desenvolveu um método próprio de fotografia digital utilizando múltiplas exposições para capturar imagens incríveis.

Enquanto viajava pelo planeta, o fotógrafo eternizou imagens de cidades, ecossistemas e patrimônios da humanidade, tendo seu trabalho publicado pela National Geographic, Digital Camera Magazine e Professional Photographer Magazine.

Matthew Kepnes

O blogueiro e especialista em viagens Matthew Kepnes, conhecido como “Nomadic Matt”, é um embaixador dos nômades digitais e autor de vários best-sellers.

Ele nunca havia saído dos EUA, sua terra natal, até 2005, quando embarcou em uma viagem à Tailândia.

Desde então, Matthew largou seu trabalho fixo e passou a viajar pelo mundo escrevendo sobre suas experiências em seu blog.

Hoje, ele é um dos maiores influenciadores da categoria e já viajou por mais de 70 países em sete anos de nomadismo digital.

Jaque Barbosa e Eme Viegas

A tradutora Jaqueline Barbosa e o publicitário Eme Viegas estão por trás de sites de sucesso como Nômades Digitais, Casal Sem Vergonha e Hypeness.

Eles são empreendedores digitais em série, viajam pelo mundo desde 2010 e servem de inspiração para os entusiastas brasileiros do nomadismo digital.

Atualmente, circulam pelo Brasil dando palestras e ajudando outras pessoas a seguirem o caminho do trabalho independente em qualquer lugar do mundo.

Vantagens e desvantagens de ser um nômade digital

A vida de nômade digital tem suas vantagens e desvantagens, que devem ser analisadas com calma por quem pretende embarcar nessa.

Confira os prós e contras da escolha.

Vantagens

A principal vantagem de ser nômade digital é, obviamente, ter a liberdade de trabalhar de onde quiser e fazer seus próprios horários, dependendo apenas de uma conexão à internet.

Isso significa poder conhecer qualquer lugar do mundo e levar sua fonte de renda com você, vivenciando experiências incríveis enquanto mantém uma rotina de trabalho online.

Ou seja: nada de ficar preso a um escritório em um único local, ou ter que cumprir normas de trabalho de uma empresa.

Além disso, a atuação como freelancer costuma render projetos mais interessantes de se trabalhar, com total autonomia e possibilidade de fazer o que gosta.

E, é claro, os níveis de motivação são muito maiores, ainda mais sabendo que a próxima folga será em uma praia paradisíaca.  

Desvantagens

Ser nômade digital também tem suas desvantagens, que estão ligadas, principalmente, à ausência de um endereço fixo.

O primeiro problema que pode aparecer é a solidão por estar sempre na estrada e não conseguir desenvolver relacionamentos duradouros, apesar de conhecer muitas pessoas.

A saudade de casa também costuma bater, principalmente quando você não se sente pertencente a outras culturas e lugares.

Outro ponto complexo é a gestão do tempo e das tarefas, pois não é tão fácil organizar seu próprio trabalho enquanto viaja de um lugar ao outro.

Por isso, muitos nômades digitais iniciantes acabam trabalhando demais e perdendo a noção do limite entre vida pessoal e profissional.

O que fazem os nômades digitais

Há várias carreiras que se encaixam no estilo de vida nômade digital, principalmente nas áreas de tecnologia, marketing e negócios.

Veja o que fazem esses viajantes hiperconectados.

Desenvolvimento de software

Os desenvolvedores e programadores estão entre os profissionais com maior oferta de trabalho online.

Afinal, todo o trabalho dessa área já pode ser realizado a distância, sem depender da atuação presencial para avançar nos projetos mais complexos.

Em sites como o RemoteOK, por exemplo, não faltam vagas remotas para desenvolvedores de software de todos os níveis de experiência.

E-commerce

O e-commerce também é um terreno fértil para nômades digitais, principalmente depois do surgimento da técnica DropShipping (estoque na fonte).

Com esse método, o empreendedor digital pode gerenciar sua loja online sem a necessidade de manter um estoque físico, deixando o armazenamento, preparo e entrega dos produtos por conta do fornecedor.

Assim, eles se encarregam das vendas e marketing e podem trabalhar de qualquer lugar, mediando as relações entre fornecedores e clientes finais.

Produção de conteúdo

Outra área típica do nomadismo digital é a produção de conteúdo, especialmente para blogs, sites e mídias sociais.

Nessa categoria estão os famosos blogueiros, youtubers e influenciadores digitais que monetizam seus projetos de conteúdo e ganham a vida falando sobre o que mais gostam.

Marketing digital

O campo do marketing digital é cheio de oportunidades para nômades digitais, principalmente no marketing de conteúdo e marketing de busca.

No caso, é possível trabalhar com links patrocinados, SEO (Search Engine Optimization), inbound marketing, mídias sociais e várias outras especialidades.

Afinal, não é preciso estar presente para gerar tráfego e oportunidades de negócios para clientes na internet.

UI/UX design

Os profissionais de UX/UI design também têm encontrado cada vez mais oportunidades para trabalhar pela internet e alcançar o nomadismo.

Com o auxílio das plataformas colaborativas, esses criativos conseguem trabalhar em equipe com outras áreas online, agregando seu conhecimento em interfaces e experiência do usuário.

Copywriting/Redação

Os copywriters e redatores fazem parte do grupo de profissionais criativos que podem seguir o nomadismo digital.

Entre as oportunidades de trabalho online, destacam-se a produção de conteúdo para blogs e sites, branded content e campanhas publicitárias.

Consultoria e coaching

Por fim, a área de consultoria e coaching também vem ganhando adeptos do nomadismo digital, que prestam serviços online para seus clientes.

Nesse caso, profissionais de qualquer área do conhecimento podem atender via Skype ou Hangouts, por exemplo, oferecendo mais flexibilidade.

Como ser um nômade digital

Se você se interessou pelo estilo de vida nômade digital, saiba que essa realidade pode estar ao seu alcance.

Veja algumas dicas para se juntar ao grupo.

1. Comece garantindo sua renda

Para se tornar nômade digital, você precisa, antes de tudo, ter uma renda garantida online.

Então, o primeiro passo é verificar quais são as oportunidades de trabalho a distância na sua área, seja como empregado ou freelancer.

Como vimos, há várias profissões que já englobam as vagas remotas - cabe a você buscar as oportunidades.

2. Prepare seu equipamento e documentação

Com o trabalho online definido, você deve preparar todo o equipamento necessário para trabalhar a distância, como notebook, fones de ouvido, carregador portátil, microfone, etc.

Além disso, é fundamental deixar sua documentação e passaporte em ordem para começar a viagem - e de preferência contratar um bom seguro.

E claro, é preciso juntar um bom dinheiro de reserva, além da previsão de renda.

3. Escolha seus destinos

Para iniciar a jornada de nômade digital, você pode escolher um único destino ou planejar um roteiro para vários meses.

O importante é checar o custo de vida, acomodações e dinâmica do local com antecedência, além de conferir as políticas de impostos e permanência para estrangeiros (se for outro país).

4. Mantenha um endereço fixo

Mesmo viajando por anos, você precisa manter um endereço fixo para receber sua correspondência, que pode ser seu ou de um familiar.

Como alternativa, alguns nômades alugam caixas de correspondência em sites como o Traveling Mailbox.

5. Invista na sua carreira

Ao partir para o seu primeiro destino, lembre-se de que você precisa investir na sua carreira como qualquer outro profissional.

O desafio será conciliar suas viagens com o desenvolvimento profissional e progresso na área escolhida - ou no seu negócio próprio -, mantendo uma rotina mínima para cumprir suas tarefas e evoluir.

Se precisar, não hesite em voltar para casa por um tempo para se organizar melhor - o nomadismo continuará sendo uma possibilidade.

Conta para nômades digitais

Os nômades digitais gerenciam sua vida online, e isso também vale para as finanças.

Por isso, uma conta bancária digital é a solução ideal para viajar pelo mundo com controle total sobre o dinheiro e acesso 24 horas.

Para os freelancers e empreendedores, a Neon Pejota é feita sob medida: 100% digital, sem mensalidade e gerenciável a qualquer hora e lugar pelo aplicativo.

Afinal, nenhum nômade digital tem tempo para lidar com burocracia bancária tradicional, filas e taxas ocultas, certo?

Para completar, a Neon Pejota ainda oferece atendimento 24 horas e ferramentas para o controle financeiro.

Assim fica fácil gerenciar seu dinheiro enquanto desbrava o planeta e constrói uma carreira digital de sucesso 🚀😉

Comentários