Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

O que é lean startup e como implementar no seu negócio

Time Neon

Você já ouviu falar em lean startup? Esse é um método que traz uma nova forma de gerir startups e empresas para elevar o crescimento. Essa metodologia que se baseia em um ciclo contínuo de feedback e aprendizado.

A agilidade é uma característica central da sua aplicação, pois permite ao negócio mudar de estratégia o mais rápido possível quando necessário. Mas, para colocar em prática a lean startup, é preciso entender bem o que é o conceito e adotar uma mentalidade alinhada a ele.

Para facilitar, preparamos este guia para implementação da lean startup. Confira.

O que é lean startup

Em uma tradução para o português, lean startup significa “startup enxuta”. Trata-se de um método de criação e gestão de startups que tem como base ciclos ágeis de aprendizado com o objetivo de levar ao crescimento acelerado e reduzir o desperdício.

Nesse modelo, os produtos e serviços são desenvolvidos rapidamente para serem testados com os clientes. Mesmo que ainda imperfeitos, esses produtos e serviços ajudam a validar uma ideia para saber se vale a pena seguir com ela - ou se é preciso compor uma nova estratégia.

Em outras palavras, a lean startup busca aprimoramento contínuo com base em feedback do cliente, alocando recursos de maneira mais eficiente.

O conceito de lean startup foi criado pelo norte-americano Eric Ries, empreendedor do Vale do Silício. Em seu livro The Lean Startup (Editora Crown, 2011), Ries afirma que o método foi projetado para ensinar como fazer a gestão de uma startup.

"Em vez de fazer planos complexos baseados em muitas suposições, você pode fazer ajustes constantes com um ciclo de feedback Construir-Medir-Aprender", ensina.

Mas, afinal, o que é esse ciclo?

Ele consiste em construir produtos rapidamente para testá-los no mercado junto ao consumidor.

Na fase destinada a medir, a ideia é utilizar indicadores e métricas para testar diferentes hipóteses sobre o produto. Ou seja: é o momento de comprovar, por meio de dados, se a empresa está caminhando na direção certa.

Já a fase de aprender consiste, como o próprio nome diz, em tirar aprendizados a partir dos testes feitos.

De acordo com Ries, essa é justamente a atividade fundamental de uma startup: transformar ideias em produtos, medir como os clientes respondem e aprender a pivotar (mudar de ideia) ou perseverar.

"Todos os processos de inicialização bem-sucedidos devem ser direcionados para acelerar esse ciclo de feedback", explica o autor.

Lean startup e o MVP

Uma prática popularizada com a lean startup é o MVP, a sigla em inglês para minimum viable product, ou produto mínimo viável, em uma tradução livre. Em outras palavras, MVP é a versão simplificada de um produto.

Como o nome sugere, esse produto possui o mínimo possível de funcionalidades. Seu objetivo é justamente o de comprovar se o produto tem a aceitação do mercado e se atende às expectativas do consumidor.

É aí que a empresa coloca em prática o ciclo Construir-Medir-Aprender.

O produto é criado com o uso do mínimo de recursos, é lançado no mercado e testado. A empresa analisa métricas que demonstram o seu sucesso ou fracasso e obtém aprendizado a partir dos dados.

Se o produto obtiver métricas satisfatórios, então, a empresa se dedica ao desenvolvimento completo dele.

Benefícios da lean startup

Agora que você está familiarizado com o conceito de lean startup, é hora de se aprofundar nos benefícios proporcionados pelo método. Confira:

Ganho de produtividade

Um dos principais benefícios da lean startup é que, ao focar na agilidade de produção e na validação de produtos com aceitação do público, a produtividade aumenta.

Nesse modelo, a equipe não gasta o tempo para criar produtos perfeitos. A ideia é lançá-los com agilidade, testar a aceitação e, caso obtenham sucesso com o consumidor, aperfeiçoá-los para aumentar as vendas.

Aproximação com o cliente

Com a aplicação do ciclo de feedback e da coleta de dados por meio do lançamento de produtos, a vantagem é que a empresa fica mais próxima do cliente.

Em termos práticos, ela ganha embasamento para compreender qual é a demanda do consumidor e o que mais agrada a ele.

Dessa forma, com o tempo, cria-se um alinhamento cada vez maior entre o que a empresa oferece e o seu público.

Redução do custo operacional

Outra vantagem é a redução dos custos de operação da empresa. Isso acontece sobretudo porque, na lean startup, existe uma busca contínua pela eliminação de desperdícios e a otimização de recursos.

Além disso, como os produtos são testados com o público, a empresa identifica, por meio dos dados, quando é preciso abandonar uma ideia para não comprometer o orçamento à toa.

Ganho de inovação

Em um artigo (em inglês) para o site da empresa OpenView Partners, o fundador Scott Maxwell destaca que, com a lean startup, é possível inovar mais rapidamente e de forma eficiente.

Segundo ele, em uma empresa de grande porte, por exemplo, a mudança e a tomada de riscos é um desafio.

Nesse caso, além de ser difícil coordenar mudanças e novas iniciativas do ponto de vista logístico, também pode haver uma resistência significativa por parte dos funcionários e da gerência.

Com uma startup enxuta, isso não acontece.

"Quanto mais inovador e perturbador você puder tornar sua empresa ou solução, mais difícil será para empresas maiores copiarem, acompanharem ou competirem com o que você está fazendo", explica Maxwell.

Lançamento de produtos com rapidez e baixo custo

A lean startup ajuda novos negócios a lançar produtos que os clientes realmente desejam, mais rapidamente e com menos custos em relação aos métodos tradicionais. É o que explica o professor adjunto da Universidade de Stanford Steve Blank, em um artigo para a Harvard Business Review (em inglês).

"E surgiu em um momento em que outras tendências de negócios e tecnologia também estão derrubando as barreiras à formação de startups", contextualiza.

Como implementar a lean startup na sua empresa

Mesmo que você não tenha uma startup, é possível utilizar o método lean startup para elevar os resultados da sua empresa.

Para ajudar, criamos um passo a passo com as etapas da implementação. Confira:

1. Adote a mentalidade da lean startup

No livro 25 Ferramentas de Gestão: um guia sobre os conceitos mais importantes ensinados nos melhores MBAs do mundo (Editora Alta Books, 2018), Julian Birkinshaw e Ken Mark afirmam que a lean startup é uma nova maneira de conceber e desenvolver um empreendimento.

Segundo os autores, a abordagem tradicional envolve a definição de um plano de negócio, a busca por financiamento e a execução de um plano. É preciso subverter o método.

"A startup enxuta vira esse processo de ponta-cabeça, enfatizando a experimentação inicial e a rápida coleta de feedback dos clientes e usando o mínimo de capital até a ideia ser comprovada", afirmam eles.

Então, o primeiro passo para a implementação da lean startup é uma mudança de mentalidade por parte da gestão.

O apego às ideias iniciais deve ser deixado de lado, já que a proposta é justamente fazer testes rápido e abandonar produtos quando não apresentam aceitação. Na prática, isso significa que o gestor deve se preparar para mudar os métodos da empresa, as ideias de produtos e serviços e até mesmo a estratégia.

2. Foque no seu cliente

O foco no cliente é uma conduta essencial na lean startup.

No fim das contas, é para isso que se desenvolve o MVP e se analisa métricas para validar a aceitação do público.

A dica é buscar a resolução dos problemas do seu público-alvo. Entenda as necessidades, desejos e dores do consumidor que deseja alcançar. Dessa forma, fica mais fácil criar produtos e serviços que atendam à demanda do mercado.

3. Crie o MVP e aperfeiçoe suas ideias

Conforme você já sabe, o MVP é uma prática comum na lean startup.

A ideia é reduzir o tempo de criação do produto, inserir o mínimo de funcionalidades e testá-lo no mercado. Para isso, utilize o mínimo possível de recursos financeiros e humanos.

O MVP teve aceitação do cliente?

Então, é hora de se dedicar ao aperfeiçoamento do produto a partir da aprendizagem obtida na fase de testes. Esse processo deve ser contínuo para reduzir os ciclos de desenvolvimento no longo prazo.

4. Tome decisões baseadas em dados

Na lean startup, é fundamental utilizar os dados para embasar todas as decisões.

Ao colocar um produto em teste, defina as métricas e indicadores-chave de desempenho a serem analisados. Elas devem ser relevantes para que você entenda se o produto está adequado às necessidades e desejos do cliente.

Mas, ao invés de criar uma grande quantidade de métricas, foque em poucas métricas que sejam de fato importantes a fim de concentrar a análise.

5. Não tenha medo de pivotar

Por fim, não tenha medo de abandonar um produto, modelo de negócios ou estratégia se observar que não existe aceitação no mercado.

Pivotar significa mudar de direção e testar novas hipóteses. E nenhuma empresa está livre de ter que fazer isso. Então, saiba que é melhor pivotar do que insistir em uma estratégia que já não mais funciona.

E aí, está preparado para usar o método lean startup? Ficou com alguma dúvida ou tem uma dica extra para compartilhar? Deixe seu comentário abaixo.

Leia mais:

+ O que é 5W2H e como aplicar esse plano de ação

+ Tudo sobre economia circular e sua importância para gestão financeira

+ Como conseguir os primeiros clientes: 7 estratégias para o seu negócio

Comentários