Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

Reajuste do salário mínimo: o que você tem a ver com isso?

Time Neon

Para você e suas finanças, uma diferença de R$ 47 no cálculo do seu salário pode não significar a notícia mais importante do mundo. Talvez seus ganhos nem estejam atrelados ao salário mínimo.

Mas saber as novidades sobre o tal do mínimo e os novos reajustes anunciados pelo governo faz diferença para qualquer pessoa. Até para tomar uma decisão de compra, quanto investir ou planejar o orçamento do ano, é preciso entender um pouco do assunto. 

Por isso é tão importante acompanhar a evolução do valor do salário mínimo no decorrer dos anos, como mostra esse gráfico:

Infográfico---Reajuste-do-salário-mínimo

O fato é esse: direta ou indiretamente, o salário mínimo tem a ver com o nosso custo de vida, com o dia a dia e a gestão financeira; e, por que não, com a possibilidade de poupar.

Quando o aumento do salário mínimo, por exemplo, não acompanha a cesta básica, é sinal de que a temida inflação aumentou.

Isso porque, de acordo com a Constituição, toda correção de salário mínimo deve ser superior ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), índice de inflação que serve de referência para a correção do mínimo no Brasil.

Quanto é o valor do salário mínimo em 2020?

Se o seu salário tem como referência o mínimo, ficar ligado aos anúncios oficiais é obrigatório.

Nos últimos dias, foram anunciados dois reajustes para o salário mínimo. O primeiro, em 31 de dezembro, elevou os R$ 998 para R$ 1.039, ou seja, um aumento de 4,1%. Duas semanas depois, no dia 14 de janeiro, o presidente Jair Bolsonaro assinou uma medida provisória, alterando novamente o valor do mínimo para R$ 1.045.

A explicação: em 2019, a inflação foi de 4,48%, acima dos 4,1% de aumento anunciado, deixando o salário mínimo abaixo da inflação. Daí o novo anúncio.

Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), 49 milhões de brasileiros são impactados diretamente com as mudanças do salário mínimo. Ou seja, os ganhos são calculados a partir desse valor. Mas não é só isso. 

Infográfico---Evolucao-da-Inflacao-INPC

Para dar uma ideia do que representa o salário mínimo para quem vive dele, em 2020, o novo valor diário será correspondente a R$ 34,83; e o valor por hora, chega a R$ 4,75 – o equivalente a uma passagem de ônibus (em São Paulo, o transporte público custa R$ 4,40 a passagem).

Mas o impacto direto não para por aí. O salário mínimo serve como referência para 80% dos benefícios da Previdência Social. Também corrige o Benefício de Prestação Continuada (BPC), o abono salarial e o seguro-desemprego, entre outros exemplos.

O que muda com o novo valor do salário mínimo

Com o aumento do salário mínimo, em tese, a maior parte das pessoas estará ganhando acima da inflação. Este pode ser o seu caso.

O principal, aqui, é saber usar essa informação preciosa a seu favor. Talvez o pensamento imediato seja: “Ganhando mais, finalmente poderei comprar aquele equipamento ou fazer aquela viagem, enfim, realizar o meu sonho de consumo”.

Consumir, sem dúvida, é uma opção possível. Não quer dizer que seja a melhor. Muito pelo contrário. Antes de cair numa possível armadilha, seja gastando mais do que poderia e iniciando uma dívida, considere:

  • Avaliar o salário líquido, não o bruto: São coisas totalmente diferentes. E, mesmo que a gente saiba disso, às vezes comete o engano de fazer o planejamento do mês considerando o valor cheio. Na verdade, descontados INSS, IR (Imposto de Renda), outras taxas e benefícios como parte do convênio ou alimentação, conforme a empresa, o que sobrar é o salário com que você pode, de fato, contar.
  •  
  • Ficar de olho na inflação: Tudo bem que a inflação de 2019 foi considerada baixa (4,1%), na avaliação de especialistas. Mas o dia a dia nos mostra que os produtos e serviços oscilam, e como! Um bom exemplo foi a subida do preço das carnes – alta de 32,24% na carne bovina, de acordo com o IBGE. Aliás, de modo geral, alimentação e bebidas foram itens que sobrecarregaram o orçamento doméstico. Tiveram aumento de 6,37%.

 

  • Ampliar o seu olhar: Na prática, isso quer dizer não apenas calcular as despesas do mês, mas estender esse levantamento para 2020. Por exemplo: suas despesas fixas de sempre, as novas despesas - cursos, parcelamentos-, uma estimativa das despesas variáveis, um pequeno caixa de despesas com lazer e cultura, outro para emergências e assim por diante. Com esse exercício, feito paralelamente ao acompanhamento da inflação, você terá uma radiografia mais próxima da sua realidade.

 

Comece a poupar

Antes de achar que já sabe de tudo, fazer uma autocrítica sincera vai ajudar muito. Até porque, existe uma diferença enorme entre saber e colocar o que sabe em prática.

Ao olhar com mais cuidado para as suas finanças, e como elas devem evoluir ao longo de 2020, vai se abrir a possibilidade real de guardar dinheiro. Obviamente não será embaixo do colchão, nem parado na conta bancária. Até porque você já acompanha os artigos aqui no blog 😉

Por mais que você saiba disso, não custa lembrar: poupar é uma forma de concretizar sonhos e projetos, de curto, médio e longo prazo. Muito bom pensar no futuro como um barco que tem você no controle dos ventos.

Da sua parte, vai exigir um tanto de organização, e também informação. Nisso, podemos te ajudar! Você pode começar cuidando bem do seu dinheiro aderindo ao Desafio das 52 semanas, por exemplo. Ou baixando a planilha de gastos pra entender melhor suas finanças.

Independente de como você vai começar o importante é dar o primeiro passo. Conte com a gente nesse processo! A Neon te ajuda a cuidar bem do seu dinheiro 😉

Leia mais:

+ Como organizar as contas para realizar um sonho em 2020

+ 4 dicas para começar 2020 com as contas organizadas

+ Sabe qual é o melhor dia pra pagar a fatura do cartão de crédito? Vamos te contar!

Comentários