Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

Planejamento financeiro familiar: como colocar em prática?

Victor Jacinto

Antigamente, o planejamento financeiro familiar costumava ser responsabilidade de apenas uma pessoa da casa. Entretanto, com o decorrer dos anos, isso ficou para trás, e hoje outros membros passaram a complementar a renda e ter atenção a essa organização financeira.

O que vemos é uma dificuldade de as famílias conseguirem fazer o controle adequado das suas finanças, o que se dá por uma série de motivos, seja falta de tempo, esquecimento, disciplina, ferramentas certas, etc.

Porém, isso é muito prejudicial para a saúde financeira e, considerando o cenário brasileiro com tantos endividados, encontrar alternativas para fazer um planejamento das finanças da casa é essencial.

Segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 72,9% das famílias brasileiras possuíam alguma dívida em agosto de 2021.

Por isso, neste artigo iremos te mostrar a importância das finanças familiares, como fazer o planejamento financeiro e, de quebra, incentivar a sua família a economizar.

Ao montar um bom planejamento financeiro, você conseguirá dar uma melhor estrutura de vida para a sua família, todos poderão manter os gastos sob controle, evitar novas dívidas e alcançar objetivos, sejam eles pessoais ou familiares.

Quer saber mais? Continue lendo!

Você sabe a importância da educação financeira familiar?

A educação financeira familiar vem sendo muito utilizada para estabelecer um bom convívio dentro dos lares, visto que essa é a forma ideal para evitar conflitos e alinhar as informações sobre as finanças da casa, inclusive envolvendo as crianças.

Segundo levantamento do SPC, somente 21% dos brasileiros tiveram conhecimento sobre educação financeira na infância, e 45,8% dos brasileiros não fazem controle financeiro.

De maneira geral, o planejamento financeiro familiar consiste em manter todos os membros inteirados sobre os assuntos que impactam o bolso dos membros da família.

Conversar sobre finanças com os seus familiares é a melhor alternativa para que todos estejam a par do assunto e, com isso, vocês terão um equilíbrio maior sobre as contas.

A pessoa que tiver maior conhecimento sobre as finanças da casa é a mais indicada para ajudar a gerenciar o orçamento do lar. Contudo, é essencial que todos estejam cientes sobre quais são os gastos da família e o que fazer para reduzi-los.

Quando todos os familiares têm ciência de como estão as despesas da casa, é possível otimizar a organização financeira, sair do vermelho e alcançar as metas traçadas para o dinheiro. Então, não tenha medo de colocar o assunto na roda.

Inclusive, veja aqui qual é a importância de falar de dinheiro.

Ao focar no planejamento financeiro familiar, todos os membros da família começam a trabalhar juntos e entender as suas responsabilidades. Dessa forma, os gastos podem ser equilibrados e os sonhos ficam mais próximos de se tornar realidade.

O fato é que a educação financeira familiar é um pilar fundamental para a estruturação do orçamento de toda a família.

E mais: a organização das finanças do lar permite ter mais controle sobre todas as movimentações do mês, acompanhar os pagamentos das contas para não perder dinheiro com multas e juros, entender para onde o dinheiro está indo e poupar para ter uma reserva caso algum imprevisto aconteça.

Como fazer um planejamento financeiro familiar? 6 dicas que podem ajudar

O orçamento financeiro familiar é essencial para todos entenderem o que é preciso fazer para que os sonhos e objetivos da família sejam alcançados.

Sabemos que no começo essa tarefa pode ser desafiadora, visto que você terá que adotar um novo hábito em sua rotina.

Por isso, estamos aqui para ajudar. Veja algumas dicas para estruturar o orçamento familiar.

1. Usem uma planilha de gastos

Para começar, o ideal é que você e sua família montem uma planilha de orçamento familiar onde todos tenham fácil acesso.

Ela pode ser utilizada como um guia para entender como será a organização do dinheiro, e para controlar todas as entradas e saídas de dinheiro ocorridas ao longo do mês.

Nós temos uma planilha de gastos mensais pronta para ser usada, é só baixar e começar a fazer o acompanhamento das finanças familiares. São duas versões, uma completa e outra simplificada:

BAIXAR PLANILHA COMPLETA

BAIXAR PLANILHA SIMPLIFICADA

Algumas informações importantes que podem constar nessa planilha são:

Com esse mapeamento, você conseguirá entender se sua família está gastando mais do que ganha, e aí saberá quais medidas deveram tomar para cortar gastos.

A planilha está diretamente relacionada à organização financeira familiar, então vale conferir o vídeo abaixo sobre o assunto:

 

2. Ensinem as crianças sobre planejamento financeiro familiar

Crianças que aprendem desde cedo a cuidar do seu dinheiro e economizar crescem dando maior importância às finanças.

Por isso, procure mostrar quanto cada um ganha, quais são os maiores gastos atuais (como as compras da casa e mensalidade da escola, por exemplo) e o que vocês podem fazer juntos para economizar e realizar sonhos.

Se você der mesada ao seu filho, incentive-o a guardar o dinheiro para comprar aquele brinquedo ou roupa que ele tanto quer, sempre mostre os valores e explique quanto tempo falta para ele alcançar o seu objetivo.

A criança deve entender o motivo pelo qual pode receber uma negativa ao pedir algumas coisas que agora não podem ser compradas, como passeios escolares, viagens, aparelhos eletrônicos, etc.

Essas são oportunidades para mostrar como ela pode fazer um bom uso dos valores e quanto vale o esforço de economizar. Reforce que, no momento certo, ela terá seus pedidos atendidos, mesmo que demore um pouco.

Lembre-se de que você está ensinando seu filho sobre como controlar as finanças para ele entender o valor real do dinheiro e que alcançar objetivos a longo prazo exige esforço.

Parece complicado, mas, ao ter um bom diálogo e explicar de forma prática, ele entenderá que a educação financeira se trata de algo benéfico para toda a família.

3. Entendam o orçamento da casa

Muitos acham que é difícil ter um orçamento financeiro familiar por conta da disciplina que o processo exige. Porém, isso se torna mais fácil quando todos têm conhecimento sobre o fluxo de dinheiro da casa e podem contribuir com suas ideias.

Para facilitar a organização financeira, um primeiro passo é separar as despesas fixas das variáveis.

Despesas fixas são todas as despesas que repetem mês a mês, como água, luz, telefone, alimentação, moradia e internet.

Já as despesas variáveis são todas aquelas que não contam com um valor fixado ou previsível, como farmácia, utilidades domésticas, passeios, viagens e restaurantes.

As despesas variáveis também podem surgir como imprevistos, como comprar um remédio, arrumar a maçaneta da porta, trocar a bateria do carro, etc.

Aproveite e confira como organizar o orçamento familiar e definir prioridades.

4. Definam objetivos em comum

O planejamento de metas e objetivos em comum são importantes para que não haja conflitos entre os familiares.

A ideia é que todos estejam focados nos mesmos objetivos, como fazer uma viagem em família, trocar o carro, alugar uma casa para as férias, enfim.

Os sonhos apenas serão alcançados caso haja cumplicidade, cumplicidade, responsabilidade, dedicação, apoio e muita conversa, afinal, vocês são uma família, não é mesmo?

Como dica, escolham um dia específico no mês para todos se reunirem para analisar a planilha de orçamento familiar e entender quanto falta para os sonhos se tornarem realidade.

Aqui é importante que todos sejam envolvidos, porque assim será possível traçar tantos os objetivos individuais quanto familiares. Não tenha medo de pensar grande, pois vocês estão lutando pelo mesmo objetivo.

Depois disso, cabe a vocês definir em comum acordo o que é prioridade no momento, como cada um pode colaborar e, então, estipular as metas para todos alcançarem o que foi traçado.

5. Tenham controle financeiro

Você está organizando as finanças em família e, para isso, é preciso ter controle dos gastos e deixar de lado as compras por impulso que podem comprometer o objetivo de todos os seus familiares.

Lembre-se do coletivo e tenha em mente: “Não quero para os outros o que não desejo para mim.” 😊 Se você não gostaria de estar cheio de dívidas, então o mesmo pensamento vale para as finanças familiares.

Fazendo um controle financeiro, você não terá problemas com contas em atraso e gastos supérfluos, assim como poderá identificar com antecedência algo que possa te trazer um gasto de última hora.

Além disso, a educação financeira familiar fará com que todos valorizem mais o dinheiro e tenham mais atenção aos gastos do dia a dia.

Para te ajudar com o controle financeiro, tenha o hábito de comprar à vista, evite compras nos cartões de crédito (a não ser para algo que realmente esteja precisando) e pague sempre o valor total da fatura.

Leia também: Método dos potes: a técnica para organizar o orçamento

6. Façam uma reserva de emergência

Quando a situação financeira familiar estiver equilibrada e todas as contas estiverem em dia, é crucial criar uma reserva de emergência para ter um dinheiro à mão caso algum imprevisto aconteça.

A reserva deve contemplar de 6 meses a um ano do seu custo de vida mensal. Se for possível, o ideal é guardar pelo menos 10% da sua renda na reserva de emergência.

Se você ainda não pensou em uma reserva de emergência ou não sabe por onde começar, aqui vão algumas dicas:

  • veja qual é o seu custo de vida hoje;
  • escolha onde guardar o seu dinheiro (você não deve ficar usando o dinheiro da reserva, mas é importante que ela tenha liquidez, ou seja, que você consiga resgatar o dinheiro a qualquer momento)
  • analise quanto você pode guardar por mês;
  • corte os gastos para guardar dinheiro.

Quer saber mais? Confira no vídeo abaixo o passo a passo sobre como montar uma reserva de emergência:

 

O ideal é investir a sua reserva de emergência, mas, caso você ainda não esteja familiarizado com o assunto, os dois artigos abaixo podem te interessar:

Uma boa opção para guardar a sua reserva de emergência é no CDB Neon. Você pode começar a investir a partir de R$ 10, ele rende mais do que a poupança, tem liquidez diária (você pode sacar o dinheiro a qualquer momento, inclusive aos finais de semana e feriados), e tudo é feito em poucos cliques direto pelo app Neon!

INVESTIR NO CDB NEON

Conseguiu entender como ter um planejamento financeiro familiar? No início não será fácil, então, para conseguir chegar ao seu objetivo, você precisa de muito foco e determinação, combinado?

Conta para a gente nos comentários como você está organizando as finanças da sua família. 😉

ilustração neon mulher cuidando do dinheiro com app

Cuide bem do seu dinheiro. Experimente o app Neon!

download app neon android
download app neon ios

Comentários