Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

Golpe do Pix: como funciona e quais cuidados tomar?

Ana Gabriela Graças

É fato que o Pix chegou para mudar a forma como lidamos com o dinheiro, mas, com ele, surgiram os golpes do Pix.

O sucesso do novo meio de pagamento é evidente e o que contribui para isso é a sua praticidade. O Pix funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, e permite fazer transferências gratuitas independentemente do valor.

Segundo dados do Banco Central, o Pix alcançou a marca de mais de 100 milhões de usuários em julho de 2021. Em relação às transações, foram mais de 750 milhões desde o lançamento do sistema de pagamentos instantâneos.

Entretanto, isso também deu margem para o surgimento de novos golpes — ou a reinvenção deles. E, se você está se perguntando se o Pix é seguro, a resposta é sim!

O Pix foi desenvolvido, testado e regulamentado pelo próprio Banco Central. Não confunda os golpes com a segurança do Pix.

Para você se proteger, vamos mostrar aqui alguns golpes do Pix e também o que fazer para não cair em nenhum deles.

Continue lendo.

6 principais golpes do Pix para você ter atenção

Phishing e smishing

Uma das táticas usadas para aplicar golpes é a de “phishing”, que usa o Pix como “isca” para enganar as pessoas e roubar seus dados. Os golpistas enviam mensagens para inúmeras pessoas e esperam até que alguém “pegue a isca”.

O phishing acontece principalmente por e-mail e o contato é muito similar ao realizado oficialmente pelas empresas. Os criminosos se passam pelos bancos e pedem as informações dos usuários para “fazer o cadastro do Pix”.

Normalmente, as mensagens têm um link que levam a páginas falsas muito parecidas com as dos sites dos bancos e, por meio delas, eles conseguem coletar as informações das pessoas, assim como senhas e tokens.

Ou seja, os golpistas têm em mãos tudo o que é necessário para invadir as contas dos usuários.

Quando o link é enviado por SMS, o golpe recebe o nome de smishing, mas a ideia por trás do golpe é a mesma.

Por isso, jamais clique em links recebidos por e-mail, WhatsApp ou SMS, e utilize apenas o site ou aplicativo do seu banco para fazer o cadastro das chaves e realizar transferências.

Aqui explicamos todos os detalhes sobre o que é phishing e smishing.

WhatsApp clonado

De acordo com dados da PSafemais de 15 mil pessoas são vítimas da clonagem de WhatsApp todos os dias no Brasil — só em 2020, foram mais de 5 milhões de brasileiros enganados.

O golpe do Pix no WhatsApp funciona assim: quando os bandidos acessam as conversas da vítima, começa a enviar mensagens pedindo dinheiro para seus contatos. Eles criam uma história de urgência, falam que precisam do dinheiro na hora e vão devolver no dia seguinte.

E, claro, pedem uma transferência via Pix. Então, caso você receba mensagens desse tipo de algum familiar ou amigo, sempre opte por ligar para a pessoa ou fazer uma chamada de vídeo.

Assim, você vai conseguir entender o que está acontecendo e comprovar se é ela mesmo ou não.

Conheça outros golpes do WhatsApp e veja como se proteger.

QR code falso

Uma das praticidades do Pix é a possibilidade de escanear um QR code para fazer uma transferência bancária. Contudo, é preciso prestar atenção antes de finalizar o processo e confirmar se os dados estão corretos, principalmente o valor da transação.

Após fazer o escaneamento, leia cuidadosamente as informações e só então confirme a operação.

Falsa central telefônica

Outro golpe do Pix acontece por telefone. Os golpistas entram em contato com a vítima em nome de uma instituição financeira dizendo que podem ajudar a ativar a chave do Pix. Depois, dizem ser preciso fazer uma transferência-teste para validar a ativação.

Tenha em mente que os bancos jamais vão ligar para seus clientes pedindo a confirmação de dados ou tentando fazer testes com o Pix. Caso você suspeite de algo, entre em contato com a instituição imediatamente.

Alerta de problemas com o Pix

Nesta fraude, os ladrões enviam um alerta para a vítima sinalizando que existe um problema com a conta bancária ou com o Pix cadastrado. Para que a situação seja corrigida, eles enviam um link falso.

Ao clicar, a pessoa é direcionada para uma página muito parecida com o site verdadeiro da instituição bancária, e acaba informando dados como CPF, senha e token.

Com essas informações em mãos, os bandidos conseguem acessar a conta da vítima e fazer transferências usando o Pix.

Desconto em contas de consumo

A criatividade dos bandidos para fazer golpes é praticamente inesgotável. Eles também tentam aplicar fraudes ligando para as vítimas dizendo ser da empresa de telefonia, energia elétrica ou água.

Eles afirmam que o cliente conseguiu um desconto na conta e pode fazer o pagamento via Pix. É claro que, ao fazer a transferência, o dinheiro vai direto para a quadrilha.

A melhor forma de evitar um golpe como esse é ser cético e entrar em contato diretamente com a empresa para esclarecer o ocorrido.

O que fazer para não cair em um golpe do Pix?

Cuidado ao fazer o cadastro das chaves do Pix

Sempre, sempre, sempre (já falamos que é sempre?) faça o cadastro das chaves do Pix e todas as operações futuras usando apenas os sites, aplicativos e plataformas das instituições financeiras.

Verifique o site em que você está e não prossiga caso você note qualquer coisa suspeita. Além disso, nunca nenhum banco pedirá a confirmação de senhas e tokens fora de seus canais digitais oficiais.

Cuidado redobrado também com mensagens e links que chegam pelas redes sociais, WhatsApp, e-mail e SMS.

Não confunda chave do Pix com senha bancária

As chaves do Pix podem ser seu CPF, e-mail, telefone ou chave aleatória gerada pela instituição financeira. Já a senha bancária é composta pelos números que você precisa digitar para dar andamento a uma transação financeira.

Então, preste atenção para não confundir as informações, combinado?

Sempre verifique quem está recebendo o dinheiro

Em muitos golpes do Pix, a vítima acredita estar transferindo o dinheiro para uma pessoa ou empresa, mas, no fim, o valor vai parar nas mãos dos ladrões.

Por isso, tenha o hábito de verificar para onde está indo o dinheiro e suspeite caso o golpista comece a criar muitas histórias tentando explicar o motivo de o nome ser diferente.

Na dúvida, nunca dê andamento ao pagamento.

Abaixo elencamos mais algumas boas práticas que te ajudarão a não cair em golpes, seja o golpe do Pix, seja qualquer outro roubo de dados online:

  • jamais forneça sua senha ou tokens fora dos ambientes digitais do banco, como os aplicativos e sites das instituições;
  • nunca compartilhe o código de verificação do WhatsApp;
  • desconfie de promoções muito atrativas e que prometem muitos benefícios;
  • não abra links que você não conhece — às vezes, basta um clique para infectar seu celular ou computador;
  • sempre cheque os números das mensagens que você recebe;
  • evite fazer transferências em público e usando o Wi-Fi do local.

 

Sabemos que as táticas de golpes se aperfeiçoam a cada dia que passa, especialmente as do golpe do Pix, e que nem sempre é fácil identificá-las.

Por isso, se algo soar estranho, o melhor caminho e o mais seguro é procurar pelo site ou aplicativo da instituição financeira, e fazer os procedimentos nos canais oficiais fornecidos por ela.

Importante reforçar que o Banco Central proíbe que chaves do Pix sejam cadastradas por telefone. Caso você receba alguma ligação te convidando a fazer o cadastro, pode desligar, pois é cilada, Bino!

Além disso, se você cair em um golpe, lembre-se de fazer o boletim de ocorrência. Isso é importante para o monitoramento dos casos e identificação de padrões nos golpes.

Agora que você já sabe mais a respeito dos golpes do Pix, recomendamos também a leitura dos artigos abaixo:

 

Conta para a gente nos comentários se você já tinha ouvido falar no golpe do Pix e se as dicas ajudaram. 😉

ilustração neon mulher cuidando do dinheiro com app

Cuide bem do seu dinheiro. Experimente o app Neon!

download app neon android
download app neon ios

Comentários