Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

Golpe do empréstimo: o que fazer para proteger seu dinheiro?

Time Neon

O golpe do empréstimo tem feito cada vez mais vítimas nesses tempos de crise econômica e endividamento nas alturas.

Basicamente, os criminosos se aproveitam da situação financeira delicada das pessoas para roubar dinheiro com ofertas de crédito falsas.

Eles se passam por instituições confiáveis e fazem você transferir um valor antecipado para liberar o dinheiro – que obviamente não existe.

Vamos entender como o golpe do empréstimo funciona e como você pode se proteger a partir destes tópicos:

 

Continue lendo e defenda seu dinheiro de mais essa ameaça.

O que é o golpe do empréstimo?

O golpe do empréstimo é um crime de estelionato que consiste em roubar dinheiro das vítimas por meio de empréstimos falsos. Ele pode ser aplicado por e-mail, pelo telefone, por WhatsApp e até por correspondência.

Tudo começa com um empréstimo que parece bom demais para ser verdade e termina com a vítima transferindo dinheiro para os criminosos após ser enganada pela oferta.

De acordo com um levantamento feito pelo Reclame Aqui, as fraudes envolvendo empréstimos cresceram impressionantes 198% nos últimos anos.

Esse aumento é explicado pela maior oferta de crédito no mercado e pelo surgimento de novas fintechs e instituições financeiras.

Com o crescimento dos serviços financeiros, os bandidos aproveitam para utilizar o nome dessas empresas como isca para aplicar golpes de empréstimos falsos.

Uma das quadrilhas especializadas nesse tipo de golpe roubou mais de R$ 30 milhões de suas vítimas, conforme noticiado no Fantástico.

Como funciona o golpe do empréstimo falso

O golpe do empréstimo falso começa com a abordagem de um suposto funcionário de uma financeira por telefone, por WhatsApp, por e-mail ou pelas redes sociais.

A vítima também pode ser atraída por anúncios feitos pelos golpistas no Google, em sites, nas redes sociais e em revistas e jornais.

Geralmente, eles se passam por agentes de grandes bancos, fintechs e até mesmo de instituições como a Receita Federal e o Banco Central.

Então, o agente oferece um empréstimo com taxa de juros abaixo do mercado e condições “imperdíveis” para a vítima.

Na maioria das vezes, os bandidos miram em pessoas negativadas e muito endividadas, que têm grande dificuldade de conseguir crédito e estão dispostas a aceitar qualquer oferta para sair das dívidas.

Quando a pessoa aceita o empréstimo, os golpistas conduzem o procedimento da mesma forma que os bancos, coletando os dados da pessoa para cadastro e enviando um contrato para ser assinado.

Assim que a pessoa assina o contrato, eles criam algum tipo de impedimento para a liberação do dinheiro.

O argumento mais comum é que o dinheiro do empréstimo só poderá ser liberado após o pagamento do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Só que isso não faz o menor sentido, pois o IOF é recolhido pelas financeiras e já está embutido no Custo Efetivo Total (CET) dos empréstimos, limitado à alíquota de 3% por operação.

Mas os golpistas usam esse imposto como pretexto e pedem para que a vítima deposite um valor (muito mais alto do que a alíquota de qualquer imposto) para “liberar o crédito”.

Os criminosos também podem usar outras desculpas para solicitar algum valor antecipado, como a cobrança de uma comissão ou seguro.

Então, quando a pessoa faz a transferência, os golpistas desaparecem e a vítima nunca mais vê a cor do dinheiro.

Outros tipos de golpe do empréstimo pela internet

Além do golpe do empréstimo que você acabou de conferir, existem outras versões da mesma fraude circulando por aí.

Confira.

Golpe do empréstimo consignado (criminosos)

O golpe do empréstimo consignado é aplicado principalmente em aposentados e funcionários públicos.

Apenas relembrando: o consignado é aquele empréstimo descontado diretamente da folha de pagamento e, por isso, tem taxas de juros melhores.

Nessa modalidade, os criminosos conseguem dados como nome, endereço e CPF da pessoa, e fazem um empréstimo em nome dela em alguma instituição financeira.

Esses dados podem ser obtidos em outros golpes comuns como o phishing e o smishing, ou ainda em vazamentos de dados.

Assim que o dinheiro cai na conta da vítima, o golpista entra em contato se passando por um funcionário do banco que concedeu o crédito, diz que houve um engano e solicita a devolução do valor via Pix ou transferência bancária.

Quando a pessoa faz a transferência, ela está, na verdade, mandando o dinheiro direto para a conta do golpista e fica com um empréstimo para pagar.

A vítima só se dá conta quando o banco começa a debitar as parcelas do empréstimo da folha de pagamento — e aí é tarde demais para reaver o dinheiro.

Golpe do empréstimo consignado (instituições)

Nessa versão, o golpe do empréstimo consignado é feito pelas próprias instituições financeiras.

Basicamente, a empresa concede o crédito sem a autorização do aposentado ou funcionário público.

Assim, a instituição lucra com a cobrança de juros, e a vítima precisa entrar na justiça para cancelar a operação.

Golpe do empréstimo para investimentos

Em outra variação do golpe do empréstimo, os criminosos convencem as vítimas a tomarem crédito em bancos para aplicar o dinheiro em investimentos de alta rentabilidade.

No Rio de Janeiro, a polícia prendeu uma quadrilha especializada em aplicar esse golpe em militares e servidores públicos.

Os bandidos prometiam pagar as parcelas do empréstimo consignado, investir o dinheiro e devolver o valor inicial com 10% a mais.

No início, eles realmente pagavam as prestações para segurar as vítimas. O esquema funcionava como uma pirâmide financeira, de modo que os depósitos que iam entrando de novas vítimas pagavam as parcelas das primeiras.

Depois de um tempo, os golpistas paravam de pagar as parcelas do empréstimo e desapareciam com o dinheiro.

Veja aqui o que é e como evitar uma pirâmide financeira.

Como se proteger de golpes de empréstimo

Agora que você conhece o golpe do empréstimo, vamos falar sobre medidas para se proteger dessa ameaça.

Veja quais são as principais:

  • Tenha cuidado com ofertas de crédito
  • Nunca faça nenhum pagamento antecipado
  • Proteja seus dados pessoais
  • Não fale sobre empréstimos em redes sociais abertas
  • Não se desespere com dívidas atrasadas

 

Explicaremos a seguir os detalhes de cada uma das dicas.

Tenha cuidado com ofertas de crédito

O primeiro ponto é desconfiar de qualquer oferta de crédito boa demais para ser verdade, ou seja, com taxa de juros menor do que a média do mercado e prazo longo para pagar.

Se você está com o nome sujo, é preciso redobrar a atenção, pois os golpistas preferem pessoas negativadas nos birôs de crédito.

Na dúvida, se você receber uma oferta de crédito, entre em contato diretamente com a instituição financeira para confirmar sua veracidade.

E claro: nunca acredite em um atendente só porque está com o logo da empresa no perfil do WhatsApp ou porque está ligando de uma suposta central de atendimento.

Nunca faça nenhum pagamento antecipado

Todos os golpes do empréstimo se baseiam em pagamentos antecipados que seriam necessários para a liberação do dinheiro.

Isso não existe em lugar nenhum e é completamente ilegal. Por isso, independentemente da situação, nunca “adiante” nenhum valor para receber um crédito.

Proteja seus dados pessoais

Muitos golpes começam com a coleta dos dados pessoais das vítimas, que podem ser usados para fazer um empréstimo sem autorização ou investigar melhor o perfil dos alvos.

Para evitar que suas informações pessoais caiam nas mãos de bandidos, pense bem antes de compartilhar seus dados por aí e certifique-se de que as empresas que têm seu cadastro respeitam as regras da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

Outra medida de segurança importante é ativar a autenticação de dois fatores no e-mail, WhatsApp, redes sociais e lojas online para ninguém conseguir invadir ou clonar suas contas.

Não fale sobre empréstimos em redes sociais abertas

Os golpistas costumam pesquisar em redes sociais e buscar informações que ajudem a convencer suas vítimas.

Por exemplo, muita gente divulga detalhes como o valor de suas dívidas e o valor de empréstimo que necessita em grupos de finanças do Facebook.

Certamente, há vários golpistas infiltrados nesses grupos monitorando essas informações para chegar com uma oferta irresistível.

Não se desespere com dívidas atrasadas

Por fim, é importante não entrar em desespero com as dívidas em atraso, ou você pode ficar mais vulnerável ao golpe do empréstimo.

Por mais complicada que esteja a situação, você sempre pode negociar com os credores, buscar propostas de parcelamento, ou até mesmo fazer um empréstimo único com uma taxa de juros justa para quitar todos os débitos.

Se você agir sem pensar, pode acabar caindo em um golpe e perder ainda mais dinheiro.

Veja como solicitar um empréstimo pessoal Neon com total segurança.

Como denunciar o golpe do empréstimo

Se você foi vítima de um golpe do empréstimo, existem algumas medidas que podem ser tomadas.

O primeiro passo é contatar imediatamente a instituição financeira envolvida no caso.

Depois, você pode abrir um Boletim de Ocorrência (BO) online na Delegacia Eletrônica do seu estado.

Você também pode acionar o Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) para formalizar sua denúncia.

Ligue 151 e veja quais são as orientações para o seu caso, ou abra um chamado pelo site do Procon da sua região.

Mas, ainda assim, é possível que você tenha que buscar seus direitos na Justiça por meio de um advogado particular ou Defensoria Pública.

 

Ficou claro o que é o golpe do empréstimo e como se proteger dele?

Conta para a gente nos comentários se você já tinha ouvido falar nessa fraude e se está tomando as devidas precauções.

ilustração neon mulher cuidando do dinheiro com app

Cuide bem do seu dinheiro. Experimente o app Neon!

download app neon android
download app neon ios

Comentários