Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

Descubra como evitar o consumismo e parar de comprar por ansiedade

Time Neon

Cada vez mais vemos que as pessoas estão buscando alternativas sobre como evitar o consumismo, principalmente para parar de gastar dinheiro por pura ansiedade. Assim, os hábitos de consumo também estão sendo repensados e o bolso pode se beneficiar disso.

Afinal, por que compramos por impulso mesmo quando isso ameaça nosso orçamento e frustra nossos planos? As respostas não são simples, mas você pode fazer sua parte para evitar o consumismo e reduzir os gastos desnecessários na sua vida.

Continue lendo e confira nossas dicas que te ajudarão a controlar melhor suas compras.

Como evitar o consumismo pelo bem do seu bolso

Aprender como evitar o consumismo é uma lição fundamental para cuidar melhor do seu dinheiro e ter uma vida financeira saudável.

Se você não tomar cuidado com as compras por impulso, pode se endividar facilmente e comprometer seus projetos de vida em poucas horas no shopping — ou em poucos cliques no e-commerce.

Hoje, a ansiedade e depressão são os maiores vilões do bolso, pois funcionam como gatilhos para o comportamento compulsivo e a busca de alívio por meio das compras. Como resultado, milhões de pessoas sofrem com dívidas, limites estourados e falta de perspectiva financeira.

Em junho de 2020, o endividamento dos brasileiros bateu um novo recorde: 67,1% da população tem dívidas no cartão de crédito, cheque especial, carnê e outros tipos de crédito, enquanto 25,4% está negativada devido a contas em atraso, segundo dados da CNC.

Ao mesmo tempo, 4,6 milhões de pessoas devem mais aos bancos do que conseguem pagar, de acordo com um levantamento do Banco Central publicado em 2020 na Agência Brasil.

Outra pesquisa, realizada em 2017 pela SPC Brasil, mostra que 37% dos brasileiros admitem ter comprado algo de que não precisavam nos 30 dias anteriores ao estudo, com destaque para itens como roupas, calçados, perfumes e idas a bares e restaurantes.

Se você faz parte de alguma dessas estatísticas, esse é o momento de repensar seus hábitos. Falando nisso, veja aqui quais são 6 hábitos ruins para as finanças e que podem prejudicar muito seu orçamento— e o que fazer para mudá-los.

De onde vem o impulso do consumismo

Se você quer saber como evitar o consumismo, precisa entender de onde vem esse impulso incontrolável de comprar e quais são suas consequências na vida financeira.

Em seu livro “Mentes consumistas: do consumismo à compulsão por compras”, a psiquiatra Ana Beatriz Barbosa explica como o consumismo afeta as pessoas e como funciona o círculo vicioso das compras.

Para ela, consumir é a maneira mais rápida e eficaz de “ter”, e, em uma sociedade com abundância de produtos e serviços, os verbos “ser” e “ter” viraram sinônimos absolutos.

“Consumir tem um efeito colateral inevitável: se, em um primeiro momento, a compra gera um estado de alegria e euforia momentânea, liberando parte de nossa ansiedade, como o tempo nós ‘viciamos’ nessa sensação abstrata de prazer e passamos a comprar mais e mais” — afirma a especialista.

Basicamente, o consumista tem essa sensação ilusória de que as compras podem levar a um estado permanente de satisfação — quando, na verdade, elas estão acabando com a sua vida financeira.

Esse processo ocorre em um ciclo:

  1. Gatilho: a pessoa é estimulada a comprar por uma promoção, anúncio, oferta, data comemorativa ou qualquer outro gatilho, geralmente em um momento de vulnerabilidade, tédio ou estresse
  2. Descontrole: em busca de alívio rápido, ela cede à tentação e compra compulsivamente
  3. Ressaca: pouco tempo após a compra, a pessoa percebe que gastou mais do que devia e sofre com a sensação de culpa, vergonha e arrependimento
  4. Recaída: a frustração leva a um novo episódio de compra compulsiva, alimentando um ciclo de consumo sem fim

 

Aqui você confere algumas dicas sobre como evitar comprar compulsivamente pela internet.

Oneomania: a doença do consumismo

O consumismo desenfreado já tem seu diagnóstico registrado pela Organização Mundial da Saúde: oneomania, ou a doença do consumo compulsivo.

A OMS estima que 8% da população mundial sofra com esse transtorno, de acordo com dados publicados em 2018 na Veja Saúde.

Mas é claro que nem toda pessoa que compra muito é, necessariamente, um comprador compulsivo. Geralmente, quem sofre de oneomania não compra mais por prazer, mas simplesmente por necessidade psicológica — ou seja, para preencher o vazio deixado pela ansiedade e depressão.

Estes são alguns sintomas de que as compras em excesso podem ter virado doença:

  • Pensar em compras o tempo todo e sentir muita angústia a respeito
  • Estourar o orçamento frequentemente e gastar mais do que ganha, principalmente com itens desnecessários
  • Gastar demais a ponto de prejudicar relacionamentos e carreira
  • Esconder compras de pessoas próximas e mentir sobre os valores gastos
  • Viver endividado sem a menor perspectiva de sair do vermelho
  • Repetir continuamente o ciclo “gatilho-descontrole-ressaca-recaída”

 

Nesse caso, é preciso buscar tratamento especializado com profissionais da psicologia e psiquiatria.

7 dicas de como evitar o consumismo e as compras por ansiedade

É possível entender como evitar o consumismo e as compras por ansiedade antes que eles se tornem um problema ainda mais grave. Veja algumas dicas para manter o controle sobre o seu dinheiro.

1. Entenda o motivo por trás de cada compra

O primeiro passo para evitar o consumismo é avaliar se você está tomando decisões racionais na hora de fazer compras ou se está se deixando levar por sentimentos e emoções.

É o que chamamos de inteligência emocional nas finanças, que é basicamente a capacidade de domar seus impulsos e comprar somente o que você precisa de fato, mantendo os gastos sempre dentro do orçamento.

Quando estiver quase comprando algo, pense se você está fazendo isso porque realmente vai usar o produto (ou aproveitar o serviço) ou se apenas está tentando aliviar sua ansiedade, estresse e frustração.

2. Controle seu orçamento

A falta de planejamento do orçamento prepara o terreno para o consumismo, pois impede que você tenha controle sobre os ganhos e gastos mensais.

Por isso, é fundamental registrar suas receitas e despesas e acompanhar de perto a movimentação da sua conta corrente. Se você ainda não se organizou, use nossa planilha de gastos gratuita para colocar ordem na sua vida financeira.

Assim, será mais fácil se manter dentro do planejado e evitar comprar por impulso.

Para te ajudar, aqui você confere como fazer uma organização financeira pessoal para se manter focado e mudar hábitos.

3. Foque nas suas metas financeiras

O pior problema do consumismo é que ele afasta você dos seus planos de vida e objetivos financeiros.

Para realizar qualquer sonho que envolva dinheiro, você precisa manter o orçamento equilibrado, evitar dívidas e poupar todo mês — e claro que é impossível fazer isso gastando demais.

Logo, você pode encontrar a motivação para combater seus impulsos consumistas fazendo um planejamento de metas de curto, médio e longo prazo, como trocar de carro, fazer um curso ou comprar um imóvel.

4. Adie as compras

Se está difícil evitar o consumismo, você pode adotar a técnica de adiar suas compras.

Por exemplo, se você tem certeza de que precisa de um smartphone novo e até já colocou o item no carrinho virtual, faça o seguinte: espere até amanhã para concluir a compra.

Na maioria das vezes, 24 horas são suficientes para repensar essa necessidade e tomar uma decisão mais racional.

5. Aposte no consumo colaborativo

Aderir à economia colaborativa é uma ótima saída para praticar um consumo mais consciente e reduzir gastos.

Nesse sistema, as pessoas compartilham, trocam, emprestam e alugam em vez de comprar, focando no acesso aos bens e serviços, deixando de lado a posse.

Por exemplo, você pode utilizar apps de compartilhamento como Uber e Airbnb, alugar produtos em vez de comprar, vender e trocar itens que você não usa mais, compartilhar espaços ociosos, e diversas outras possibilidades econômicas e sustentáveis.

6. Planeje suas compras

O planejamento é um aliado importante contra o consumismo e as compras por ansiedade.

Antes de sair de casa ou acessar o e-commerce, planeje exatamente o que você vai comprar e defina um limite de gastos com essa compra.

Sabe aquele velho hábito de levar uma lista ao supermercado e ir calculando os preços conforme coloca os produtos no carrinho?

Se você quer controlar melhor seus gastos, é bom adotar oficialmente essa técnica.

7. Separe o “ser” do “ter”

Para fechar, aprender como evitar o consumismo também passa pelo autoconhecimento nas finanças e por uma reflexão sobre seus hábitos e valores.

Com tantos estímulos ao seu redor para consumir, muitas pessoas acabam confundindo o “ser” com o “ter” e se sentem representadas por aquilo que compram.

Para fugir dessa armadilha consumista, lembre-se sempre de que sua identidade está ligada aos seus valores, relacionamentos e propósitos — e não ao modelo do seu carro ou marca da sua roupa.

Assim, procure aproveitar mais as experiências da vida do que os itens comprados. Para isso, você pode ocupar seu tempo livre com atividades que não envolvam muitos gastos, mas que irão te proporcionar boas lembranças no futuro.

Precisa de inspiração? Aqui te damos algumas ideias do que fazer no tempo livre para se divertir sem gastar muito dinheiro.

 

E aí, o que achou das dicas para evitar o consumismo e controlar melhor suas compras?

Conte para a gente se você tem gastado mais do que gostaria e como pretende mudar essa situação.

Comentários