Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

4 dicas para começar 2020 com as contas organizadas

Time Neon

Todo início de ano é a mesma coisa. IPTU, IPVA, material escolar dos filhos, sem contar uma possível fatura do cartão de crédito com as compras feitas em dezembro.

Parece uma surpresa, mas uma coisa é certa: essas continhas obrigatórias vão chegar, como num “passe de mágica”, a cada começo de ano.

Então, de nada adianta se fazer de desentendido ou dizer que não sabia da existência como desculpa para se enrolar ou, pior, ficar com dívidas.

Veja quatro dicas pra começar o ano com o pé direito:

1. Saiba pra onde vai o seu dinheiro

Os especialistas de finanças pessoais são unânimes: para evitar dor de cabeça em janeiro e fevereiro, o primeiro passo é saber quanto você ganha e quanto gasta por mês.

E aí, já parou pra pensar nisso? Vamos lá! Montar um orçamento é o primeiro passo para saber exatamente de onde vem a grana e para onde ela vai.

Para isso, vale usar um bloquinho de papel, lápis ou caneta, ou recorrer a uma planilha no Excel (já viu nossa planilha?). Também existem aplicativos de gestão financeira que ajudam a colocar as contas em ordem. E quem é Neon consegue fazer isso tudo usando o nosso saldo inteligente!

A escolha é sua. Mais importante que a ferramenta usada é a atitude de olhar para as entradas (salário, aluguéis etc.) e saídas (gastos fixos e variáveis).

Uma opção é dividir as despesas em duas categorias: aquelas com frequência mensal, como contas de consumo básico (água, luz, telefone, aluguel etc.) e aquelas que ocorrem uma vez por ano, por exemplo, IPTU, IPVA, viagens, matrícula e material da escola dos filhos, entre outras. Liste uma por uma.

Quer uma dica para não se esquecer de nenhuma? Pegue os extratos bancários e as faturas de cartão de crédito do ano passado. Isso vai ajudar a fazer um diagnóstico mais preciso, específico e detalhado.

Com esse raio-X em mãos, fica muito mais fácil de enxergar qual o tamanho da encrenca, ou melhor, qual o peso desses gastos no orçamento dos primeiros meses do ano.

2. De olho nos impostos (IPTU e IPVA)

Dessas continhas não dá realmente para fugir.

Se não tem como cortar ou reduzir os impostos de imóvel (IPTU) e de carro (IPVA), é importante pelo menos parar pra pensar em como tirar o melhor proveito de possíveis descontos. Tanto IPTU quanto IPVA costumam oferecer mais de uma condição de pagamento.

Em geral, o desconto vale a pena se a opção for pagar à vista. Lembrando que quem tem carro também precisa se preparar para uma possível renovação do seguro facultativo.

Ah, e tem o seguro obrigatório, chamado DPVAT, que você já deve ter pago neste comecinho de ano. No caso do IPTU, também vale a pena pesquisar as condições de pagamento – geralmente, tem um descontinho para quem paga à vista.

3. Planeje os gastos com a escola das crianças

Quem tem filhos em idade escolar pode se preparar o quanto antes para matrícula e material escolar.

Mas se você ainda não fez isso, o ideal é começar o mais rápido possível. Coloque na ponta do lápis os valores e tente negociar o pagamento antecipado ou à vista do que conseguir. Isso geralmente garante bons descontos.

No caso de material escolar, a boa e velha pesquisa em diferentes lojas é sempre uma boa estratégia. Uma dica é se juntar a outros pais e, em grupo, vocês tentarem um desconto maior justamente pela compra coletiva.

No orçamento dos primeiros meses do ano, deve ser incluída, ainda, a contribuição anual para órgãos de classe, associações ou sindicatos, no caso de profissionais que estejam vinculados a entidades, por exemplo, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Conselho Regional de Psicologia (CFP), entre outros.

4. Defina seu foco já para 2021

Xi, fez as contas, montou o orçamento bonitinho como a gente orientou e, mesmo assim, continua no vermelho? Talvez seja o caso de, logo no começo do ano, rever o seu custo de vida.

Na prática, isso significa procurar despesas que você possa cortar, abrir mão ou reduzir, claro desde que essas coisas não façam falta realmente.

Obviamente que não precisa sair cortando tudo o que você gosta, muito menos perder qualidade de vida. Tudo em excesso, inclusive muito corte de gastos, faz mal.

Após se organizar para arcar com todos os gastos, a orientação é construir um planejamento financeiro de olho em 2021.

Uma dica é dividir o valor de cada despesa por 12 meses e poupar a quantia ao longo do ano.

Assim, você chegará ao final de 2020 com o valor dessas despesas e conseguirá, no começo do próximo ano, quitá-las à vista e com desconto. Muito melhor do que correr o risco de se endividar, como entrar no cheque especial ou no rotativo do cartão de crédito, né?

O ideal é que o dinheiro seja aplicado em investimentos de baixo risco e com liquidez imediata, como um CDB, que também funciona como uma ótima porta de entrada para montar uma reserva de emergência. A Neon tem um CDB de liquidez diária com aplicação mínima de R$ 10.

Comentários