Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

Cartão de crédito e finanças em dia: dá jogo? Uma aula de gestão financeira

Fabio Ramalho

Sempre me falaram que cartão de crédito e gestão financeira não se bicavam. Isso quer dizer que pra ter as contas em dia, eu vou ter que queimar o meu cartão de crédito e jogar as suas cinzas no mar com uma música do Ed Sheeran (ou da Adele) tocando ao fundo? Não! O cartão de crédito não precisa ser um inimigo. Muito pelo contrário! Nós lhe damos o caminho das pedras de como organizar suas finanças com o cartão de crédito.

Entendendo o cartão de crédito

De forma bem simples, o cartão de crédito é uma grana que você pega “emprestada” para fazer as suas compras, de uma lâmpada de lava até a tattoo que você vai esconder da sua mãe com medo dela ter um treco. Se você pagar de volta o dinheiro emprestado até a data de vencimento, não tem que pagar nada a mais. Em outras palavras, é uma dívida.

Já, se você não pagar ou pagar parcialmente, aí a coisa complica. Você terá que arcar com juros (altíssimos) em cima do valor: o famoso “entrar no rotativo do cartão”. Muitas chegam ao ponto de solicitarem vários cartões de crédito. E é aqui que muitos acabam se endividando e caindo num buraco sem fundo.

Esse endividamento acontece, na maioria das vezes, porque a pessoa vê no crédito disponível “uma grana a mais”, quando isso não é verdade. É um empréstimo, lembra?

Usar o cartão de crédito para tapar buraco quando você está sem grana pode se tornar (e geralmente se torna) uma cilada. Ainda mais se você não conseguir garantir o pagamento total quando a fatura chegar e acabar caindo no rotativo.

O cartão de crédito precisa ser uma ferramenta para lhe ajudar e não para lhe ferrar. Sabe como isso é possível? Dois passos: 

  1. Desenvolva uma consciência financeira (nada metafísico, um senso mesmo)
  2. Faça uma reserva de dinheiro

Ambos os passos são uma questão de comportamento e atitude.

Aí, você passa de uma pessoa que PRECISA usar um cartão de crédito pra não passar o mês no vermelho, pra uma pessoa que PODE usar o cartão em seu próprio benefício!

O segredo é saber quando e como usar!

Débito X Crédito: qual vale mais a pena?

Pensa na situação: você está na loja, pronto para comprar aquele smartphone mega blaster dos seus sonhos, e que você já guardou a grana e pode comprar à vista.
Na hora do pagamento, você entrega o seu cartão e o vendedor pergunta: “Crédito ou débito? Dá pra parcelar em 12x sem juros.”

Se você já guardou o dinheiro antes, a grana está investida e você tem acesso a ela a qualquer momento, então a resposta óbvia seria um retumbante "débito", certo?

Depende. E é aqui que está o pulo do gato, o segredo de quem sabe fazer dinheiro.

Como o valor parcelado é exatamente o mesmo do que à vista e você tem guardado o dinheiro pra pagar o total da fatura do cartão, por que não deixar o seu dinheiro rendendo mais um pouquinho?


Sabe como se chega nessa resposta? Puxa o seu celular, abre a calculadora e faça contas!

Veja se o resultado de deixar o dinheiro mais uns meses investido não vale mais a pena. Ou ainda, se não vai comprometer demais o limite do seu cartão. E, o mais importante, se tudo isso está dentro dos seus objetivos!

Vantagens extras, anuidade e taxa de juros

E a vantagem não é só a de comprar parcelado.

Muitos cartões de crédito oferecem vários benefícios agregados que podem fazer uma grande diferença, como programas de pontos que dão descontos em vários tipos de compras - de ingressos para shows, cinemas e teatro, até restaurantes e viagens, sem falar nas famosas milhas que podem ser convertidas em passagens aéreas.

Esses benefícios variam, de acordo com o seu modelo de cartão, banco ou bandeira (Visa, Mastercard, American Express etc). Existem no mercado uma infinidade de tipos de cartão: desde aqueles gratuitos, sem nenhum benefício extra, até cartões onde cada real gasto se converte em vantagens para você.
Como escolher o melhor? Mais uma vez: pesquisando e fazendo conta, é claro!
Deixe de preguiça, e dê uma boa lida no site do seu cartão de crédito, ou ligue para central de atendimento e negocie um cartão com vantagens melhores pra você! Vale a pena.

Fazendo contas, você vai descobrir se vale mais a pena um cartão com anuidade maior e vários benefícios, ou o contrário.

O cartão de crédito é um serviço (aquele empréstimo que eu mencionei no começo do texto, lembra?). E como todo serviço que queremos utilizar, ele tem um preço. É assim com celular, Netflix, Spotfy, não é?

Afinal, as operadoras tem custos para manter esses serviços funcionando e disponíveis, certo. Com o cartão de crédito, ao invés de uma mensalidade, é preciso pagar uma anuidade, que pode ser parcelada.

Esse valor varia de banco para banco, bandeira, ou “nível” do cartão. Um cartão mais exclusivo, como um platinum, oferece muito mais vantagens do que um regular, mas isso às custas de uma anuidade maior.

Uma outra coisa que varia de cartão para cartão são as taxas de juros. Aquele valor que você paga caso não consiga dar conta do total da fatura do mês. Essa taxa pode variar bastante, de 2% a 20% ao mês. E o seu nível de risco de não pagar é um fator determinante para essa variação. Bons pagadores conseguem menores taxas.

Não se esqueça que estamos trabalhando para que você nunca tenha que cair no rotativo, certo? Com uma vida financeira saudável, você nunca terá que suar frio toda vez que lhe perguntarem: débito ou crédito.

Optar ter um cartão de crédito ou continuar com o que você tem é uma escolha, mas que precisa ser consciente e bem planejada. Vale a pena pesquisar muito antes de escolher e colocar tudo na ponta do lápis para não ter surpresas ou decepções. Chega de preguiça, e vai fazer contas aí!

E continue acompanhando o nosso blog, para ter acesso a conteúdos exclusivos da Neon - para que você entenda melhor como se organizar financeiramente e consiga curtir a vida sem estresse (pelo menos não por causa de grana).

Clique e baixe o ebook

Leia mais:

+ Juros compostos: a explicação mais fácil para quem não é de Exatas

Comentários