Logo_neon-degrade
ABRA SUA CONTA

O que é cadastro positivo e como funciona

Time Neon

Você costuma pagar suas contas em dia? Não deixa passar nada, nada? Aproveita todas as dicas que damos aqui no blog sobre planejamento financeiro? Então, você é um bom pagador! Uhuu“Mas o que ganho com isso?”, você pode se perguntar. Assim como as pessoas que deixam de arcar com os compromissos entram na lista de nome sujo (ou cadastro negativo), o consumidor bom pagador também tem o direito de entrar em uma lista. Sabia disso? 

Em vigor desde 2013, o cadastro positivo reúne dados de consumidores que são bons pagadores. Apesar de existir há bastante tempo, o tema quase não era divulgado até que um projeto de lei foi aprovado no início do ano pelo Congresso Nacional e sancionado em abril pelo presidente Jair Bolsonaro. As novas regras entram em vigor a partir do dia 9 de julho. Afinal, o que é cadastro positivo e como ele funciona? 

O que é o cadastro positivo? 

Na prática, o cadastro positivo é um banco de dados sobre consumidores (Pessoas Físicas e empresas) com bom histórico de pagamentos de dívidas, empréstimos e outros compromissos assumidos (incluindo contas de água, luz, gás e telefone, por exemplo). Podemos falar que é uma espécie de ficha cadastral com informações como valor total do empréstimo, quantidade e valor das parcelas e como o pagamento tem sido feito pelo consumidor. 

Como funciona? 

O cadastro positivo nada mais é do que uma referência para os credores (bancos, por exemplo) conseguirem enxergar aquelas pessoas ou empresas com bom histórico de pagamento de modalidades de crédito. Em outras palavras, as instituições financeiras, assim como as redes varejistas, identificam os consumidores que pagam tudo em dia, o que significa, claro, um risco menor de inadimplência. É como se você recebesse um “carimbo” de bom pagador. Por falar nisso, veja aqui como se livrar das dívidas! 

O que ganho com isso? 

Ao perceber que um consumidor está no cadastro positivo, um banco pode cobrar juros mais baixos ao conceder um empréstimo, por exemplo. Não é uma regra, até porque a escolha de dar ou não o crédito é sempre do bancomas entrando na lista do cadastro positivo, a chance de conseguir um financiamento com condições melhores é maior. 

Hoje, com o cadastro negativo (a lista de quem tá com nome sujo na praça), os bancos e outras instituições financeiras só enxergam as dívidas não pagas pelos consumidores, ou seja, tudo que faz com que a pessoa fique inadimplente. Com o cadastro positivo, fica mais fácil de ver os compromissos que foram quitados em dia por essa mesma pessoa. Assim, a análise de risco se torna bem melhor com uma visão completa do histórico de pagamentos. 

Para se ter uma ideia do impacto da aprovação do cadastro positivo, 2,5 milhões de micro, pequenas e médias empresas brasileiras passarão a ter acesso a crédito, com a inclusão automática no cadastro positivo, conforme estudo feito pela Serasa Experian. 

O que muda com a nova legislação? 

Até a aprovação do novo projeto de lei, as instituições financeiras e outras empresas (como redes de varejo) precisavam de autorização prévia dos consumidores para incluir os nomes na lista do cadastro positivo. Com as novas regras, essa autorização deixa de ser obrigatória, ou seja, você pode ter os dados no cadastro positivo sem precisar falar “sim, eu quero”. 

Então, é tudo festa? Não posso tirar meu nome? Calma! Com o projeto aprovado, o consumidor pode pedir para retirar o nome desse banco de dados. Os chamados birôs de crédito, especializados na análise de crédito, são responsáveis por fazer essa “ponte” entre o consumidor e as instituições financeiras. Já ouviu falar em Serasa, Boa Vista e SPC (Serviço de Proteção ao Crédito)? Pois é, são as principais e mais conhecidas por fazer essa análise de crédito. 

Cada consumidor tem um “score”, que é uma pontuação que mostra o risco da pessoa ou empresa em não honrar com o pagamento de uma dívida. Quanto mais alto for esse “score” (veja aqui como aumentar sua pontuação), maior tende a ser a chance de o consumidor conseguir o crédito por um custo mais baixo. 

Mas atenção: não há uma regra única. Os bancos costumam usar métricas próprias, além dessa pontuação, para decidir entre conceder ou não o empréstimo. Para alguns produtos, como cartão de crédito, outros quesitos acabam influenciando, sabe? O bom relacionamento com a instituição financeira é um deles. É o caso de quem mantém conta corrente com movimentação frequente, por exemplo, e sempre pagou a fatura do cartão na data de vencimento, sem estourar o prazo. 

Agora que você já sabe como funciona o cadastro positivo, é só manter aquele ótimo hábito de pagar os boletos tudo em dia que, automaticamente, seu nome será inscrito na lista de bons pagadores! 

Comentários

Faz a diferença na sua vida